Para favorecer as gestões específicas de cada unidade de ensino e adotar estratégias educacionais e pedagógicas voltadas às idades dos alunos, a Secretaria de #Educação do Estado de São Paulo tomo uma drástica medida de reengenharia da rede de ensino estadual que afetará 311 mil alunos e fechará 94 escolas já em 2016.

No novo desenho educacional paulista, as escolas serão divididas por ciclos: o Ensino Fundamental I, II e Ensino Médio. Calcula-se que, com a nova medida, alguns alunos tenham que ser remanejados para outras instituições a uma distância de até 1,5 km e, em alguns outros casos, de 3,5 km.

Segundo dados divulgados pela Secretaria de Educação, 311 mil estudantes serão de alguma forma afetados pelas modificações. No mesmo passo, 74 mil professores também serão atingidos. Ainda de acordo com a pasta, 2.956 salas de aula que estavam sem uso passarão a ser utilizadas no ano que vem.

Herman Voorward, secretário estadual da Educação, defendeu as modificações e disse que o grande benefício do redesenho da rede de ensino será readequar as instituições com a estrutura e a equipe específica que a faixa etária que cada escola exigirá. 

No entanto, pais e principalmente alunos não estão satisfeitos com a decisão do Governo de São Paulo. Nesta semana, ocupações em escolas da capital e de Diadema, por exemplo, deram o tom da insatisfação dos estudantes com o novo sistema educacional. #Manifestação