Nesta quinta-feira (5), foi publicada no Diário Oficial da União, uma nova lei que determina que a renda familiar servirá como critério de desempate nos vestibulares para ingresso em faculdades. Estudantes de baixa renda que já contam com diversos benefícios para ingressar nas faculdades públicas ou privadas agora tem mais uma ferramenta em mãos para utilizar a seu favor.

Com esta nova lei, muitos estudantes que ficaram em filas de espera para chamadas posteriores em vestibulares passados agora poderão ter a chance de serem melhor posicionado nas listas de chamadas. Esta lei tem o intuito de ampliar o ingresso dos alunos as faculdades e utiliza-se da renda como um fator que determina um posicionamento melhor em relação a outros estudantes que também atingiram a mesma pontuação no exame.

Dentre os benefícios que o #Governo oferece aos estudantes, estão o ProUni, que permite o ingresso de estudantes com até 100% de bolsa em instituições de ensino privado. Também existem as cotas para estudantes oriundos de escolas públicas, estaduais, municipais ou até mesmo privada desde que tenham cursado com o beneficio de bolsa integral.

Baixa Renda

Muitos estudantes que hoje tem baixa renda, porém no passado estudaram em escolas públicas e por isso não podem contar com os benefícios de cotas e nem do Prouni , agora também  serão beneficiados, mesmo que seja num grau menor, mas não deixa de ser uma ajuda e tanto.

Medidas socioeconômicas adotadas pelas instituições de ensino superior sempre geram polêmicas para com os vestibulandos que se acham prejudicados por uma ou outra mudança. Estudantes que não são contemplados por benéficos sofrem por serem injustiçados, mas o direito a #Educação é de todos. O país tem que promover formas em que cada individuo possa ter acesso a educação, estas são formas consideradas de inclusão social. O que de fato gera e continuará gerando muita polêmica.  A injustiça se faz não pela forma de inserção a faculdade e sim a disponibilização de vagas reduzidas, que não atendem a demanda. #Curso