Estudantes do Brasil poderão participar de processos seletivos para obtenção de bolsas de estudo na Rússia, China, África do Sul e Índia, além do mesmo acontecer com demais estudantes estrangeiros com relação aos programas de oferta de bolsas estudantis brasileiros.

O acordo prevê programas de intercâmbio nos setores de energia, mudanças climáticas e efeito estufa, economia, segurança da informação, recursos hídricos e poluição, além de estudos específicos sobre o bloco econômico "BRICS".

A oportunidade para os estudantes brasileiros é interessante, já que os certificados adquiridos nos países membros serão válidos para todas as cinco nações do BRICS, no primeiro momento estão sendo previstas 10 bolsas de estudos e 10 de mestrado para os estudantes do Brasil, com seleção ocorrendo no segundo semestre do próximo ano e com atividades em classe sendo iniciadas no primeiro semestre de 2017, segundo informações do site "Estudar Fora".

Segundo o representante e signatário do governo brasileiro, o secretário-executivo do Ministério de #Educação e Cultura (MEC), Luis Cláudio Costa, a criação do acordo de educação dentro das relações dos países do BRICS é um fato histórico para essas nações.

Sobre o BRICS

Um acrônimo para o conjunto das economias do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. BRIC, sem a África do Sul, foi originalmente criado em 2003 pelo Goldman Sachs, que especula que em 2050 essas economias serão as mais dominantes. O país da África do Sul foi adicionado à lista no dia 13 de abril de 2011, na a criação de "BRICS".

A partir de 2011, estes cinco países estavam entre as que mais crescem mercados emergentes. É importante observar que a tese Goldman Sachs não é que estes países formam uma aliança política (como a União Européia) ou uma associação formal de negociação - mas eles têm o potencial de formar um poderoso bloco econômico. Fonte das informações são do site investopedia.com #Curso

  • Para conhecer mais oportunidades de bolsas de estudo para brasileiros pelo mundo, CLIQUE AQUI.