No salão da FIERGS, no bairro Sarandi, bastante distante do centro de Porto Alegre, e da UFCSPA, graduou-se a primeira turma de #Medicina de ingresso via SISU. Isto significa que esta turma de médicos não ingressou na federal pelo tradicional vestibular, mas sim pelo ENEM. 

Desde 2010 a UFCSPA, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, adotou como única forma de ingresso o SISU, deixando assim de ter um vestibular próprio e vagas a mais na saúde para os vestibulandos da UFRGS. 

Em um ano que se fecham escolas de ensino básico em São Paulo, professores têm salários parcelados juntamente com outros servidores no Rio Grande do Sul e em resposta organizam longos dias de paralisação, como a grande maioria de colegas em todo o país, questiona-se o valor do ENEM como avaliador das potencialidades dos futuros universitários. Afinal de contas, no ENEM "basta saber um pouco sobre globalização e tal para poder passar", zoam muitos nas redes sociais a cada ENEM, que este ano atingiu a sua maioridade, 18 anos, e levou muitos jovens para o bar para zoarem dos estudantes atrasados que perderam a prova.

Durante a formatura, professores ressaltaram o quanto que todos os recém médicos haviam lutado bastante pela graduação, como o sair de casa, o amadurecimento, a conscientização do futuro da profissão diante dos conflitos do SUS, da crise econômica, da importância de se ser um profissional sensível. Ou seja, talvez o não haver "passado no vestibular" não os façam menos médicos e não houve grandes reflexões com relação a isto. Para se graduar em medicina são precisos no mínimo seis anos de estudo, onde os dois últimos são diferentes estágios. 

Ainda é necessário o 'Mais Médicos'?

A grande angústia presente nos discursos dos professores homenageados é com relação ao quanto não se justifica a presença de médicos estrangeiros para o país. Não há explicações para o programa Mais Médicos. Mas é preciso mais humanização, mais afetividade, gostar de receber ligações dos pacientes e não se sentir incomodado talvez com algum apelido ou uma lembrança no final de semana. A figura de um médico espírita, Bezerra de Menezes, foi lembrada, um médico cuja história remete superação da pobreza para conquistar o título. A medicina estaria perdendo o status de elite depois de mais de 100 anos da morte dele? Mais ou menos...talvez todos os cursos universitários, inclusive a pedagogia, falam de um saber das elites. Olhar mais para o SUS apesar dos salários...sim, eles questionam os salários que são insuficientes, mesmo que como trabalhadores o salário seja muito bom, e dificilmente um médico poderá alegar falta de ocupação! E falta de trabalho é algo que está deixando o país em grave crise, e provavelmente precisando de médicos mais acessíveis.

Ao final da formatura todos cantaram o hino do Rio Grande do Sul, assim como durante homenagem aos pais uma música do Roberto Carlos foi tocada ao som de gaita, de forma bastante gaudéria, para uma turma que parecia ser um breve retrato das diversidades do pais, inclusive pela lembrança do médico espírita cearense.

Ao final a turma se dispersou para diferentes festas ao redor da cidade. #Educação #sistema de saúde