A Essência dos seres estudada

O conceito de ontologia é pouco conhecido pela população em geral. Na computação está diretamente associado a um modelo de dados que representa um conjunto de conceitos, como a ficha cadastral de uma pessoa que pode conter suas fotos, lugares visitados, hábitos de compra, dados pessoais ao longo do tempo, entre outros dados. Na filosofia de Aristóteles, é o estudo das propriedades gerais do ser, separada das determinações especificas. Assim, a Ontologia funciona como uma linguagem que permite fazer as perguntas sobre o objeto de estudo. As diferentes Ontologias permitem a comunicação entre pessoas acerca de determinado conhecimento.

A LIBRAS e a Ontologia

A Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) pode ser considerada uma Ontologia, pois é possível através de uma linguagem com estrutura própria, conhecer a realidade, dar nomes às coisas, explicar o que elas são e contar histórias a respeito delas. Uma característica marcante enquanto uma ontologia é como o surdo dá o nome a uma pessoa, através de um sinal que o representa e a partir daí, mesmo que tenha um nome em Português, é pelo sinal que a pessoa é representada, pois existe um significado no sinal que é único àquela pessoa. O critério que o surdo adota para nomear por um sinal é segundo uma ontologia que só ele domina.

A Ontologia do Surdo

Se o nome de uma pessoa é criado por uma Ontologia do Surdo, por outro lado, essas mesmas regras fazem com que a língua mãe, LIBRAS, seja a matriz de todos os constructos da linguagem que um surdo utiliza. Por essa razão, o uso de um surdo como tradutor, ou para nomear um novo conhecimento é fundamental. Eles conhecem as regras ontológicas que permitem enunciar um objeto, incluindo a descrição das propriedades, gerar neologismos (dar novos significados para um mesmo sinal), descrever melhor o sentido que um ouvinte tenta transmitir através de uma leitura labial, ao dominar o Português como segunda língua.

LIBRAS NÃO É SUBCONJUNTO DO PORTUGUÊS

Não obstante a Ontologia do Surdo ser muito importante para compreender a língua deles, por outro lado existe uma pesquisa incessante no sentido de explicá-la segundo as regras do Português, como se fosse possível conter a LIBRAS no Universo do Português, tornando a um subconjunto dessa Ontologia do Português. Essa preocupação pode ser observada na temática das pesquisas e nos serviços prestados aos surdos. Ao submeter uma língua à outra, um grande repertório é perdido, assim como as funcionalidades de expansão da língua. Seria como se o Português pudesse ser escrito apenas com 11 letras e não existissem sons nasais. #Educação #Governo #Escola