O Brasil enfrenta uma enorme turbulência econômica. Realmente a crise se instalou, é inevitável, mas um planejamento mais exigente pode ser a saída para controlar os impactos nas finanças pessoais, inclusive pode render a realização de metas e objetivos, afinal, o sonho ainda não acabou! 

Mesmo com o cenário econômico confuso, o candidato que deseja estudar no exterior precisa analisar alguns critérios básicos e organizar-se de forma cautelosa, principalmente porque a maioria não tem independência financeira, logo, a família será o alicerce fundamental para a nova trajetória de vida, quem sabe até de profissão! Então, vamos verificar de maneira consciente os fatores básicos necessários.

Com relação a sua decisão

Partindo do princípio, sabemos que a ideia de sair em busca de novos horizontes é fantástica, mas é imprescindível que o candidato tenha certeza de sua escolha, se realmente quer deixar a sua terra natal. Sem dúvida, será um grande passo para o enriquecimento curricular, entretanto, a decisão é somente sua.

Pesquisar sobre a localidade ideal

São imensas as opções, fica difícil escolher, mas nada de aflição. De um modo geral, tudo vai depender das suas disponibilidades, sejam elas financeiras ou de identificação pessoal com o país escolhido, tem que existir certo acordo com a sua vontade, interessar-se por determinada região e querer residir. Situar-se sobre o custo de vida, situação atual, índices socioeconômicos, etc. Esses tipos de pesquisas são pertinentes, pois ajudam na decisão final.

Entendimento com o câmbio

Demonstrar afinidade com o câmbio é fator indispensável para seguir viagem, principalmente em tempos de instabilidade da moeda estrangeira. Tudo tem que ser organizado e muito bem controlado, de preferência com folha de cálculos ou planilhas que impeçam o mínimo de prejuízo financeiro.

Onde estudar e qual o idioma

As opções de faculdades, sejam para graduação ou pós-graduação, tem o processo mais focado, portanto, as escolhas estão relacionadas as suas determinações profissionais, que automaticamente fazem uma correlação ao seu perfil acadêmico que deve ser compartilhado aos programas que as universidades disponibilizam. Se for aprender um novo idioma, a situação fica mais complexa, pois haverá a necessidade de escolher um lugar em que a língua seja familiar para você. Para fins de sugestão, as universidades do Japão e Holanda podem auxiliá-los na oferta de cursos com dois idiomas.

Dúvidas e documentação necessária

Com a decisão tomada, ocorrem várias dúvidas, principalmente com relação à documentação, em geral ao visto com permanência para estudante e sua respectiva renovação, caso necessite. Então, as questões e orientações podem e devem ser elucidadas pelos representantes diplomáticos, ou seja, as Embaixadas e Consulados presentes em todos os estados do país.

Logo, só me resta desejar-lhes boa sorte e uma boa viagem! Para aqueles que ficam, acompanhe o leque de oportunidades para concursos públicos. Confira aqui! #Educação #universidade #Vagas