Logo após a divulgação das notas do último Exame Nacional do Ensino Médio, na última sexta-feira, dia 8 de Janeiro, iniciou-se o alvoroço de estudantes ansiosos pelo que poderiam conquistar com o obtido. Nessa última segunda-feira, dia 11 de Janeiro, começaram as inscrições ao SISU, onde os jovens que fizeram #ENEM podem concorrer a uma vaga em universidades de todo o país. Esse ano as notas de corte pegaram muitos de surpresa, uma vez que essas tiveram considerável aumento, o que para especialistas já era esperado. Nessa quinta-feira, dia 14 de Janeiro, se encerram as inscrições. Entre os cursos mais concorridos estão os de Medicina, Direito, Psicologia, Enfermagem e as várias áreas da Engenharia.

A escolha por #Medicina requer esforço e dedicação, e assim fizeram inúmeros estudantes que pretendem obter uma vaga no curso. Focaram o ano de 2015 aos estudos, chegando a fazer cursinho em três turnos diferentes. A redação, que nesse ano trouxe boas notas para muito, foi o diferencial alcançado por muitos vestibulandos à espera do resultado.

Confira a seguir as menores notas de corte de Medicina até o momento, na ampla concorrência, e abaixo de 780:

UFAC - Rio Branco (Acre) - 765,54

UFAL - Maceió (Alagoas) - 774,40

UFAM - Manuas (Amazonas) - 773,13

UNIFAP - Macapá (Amapá) - 767,66

UFBA - Salvador (Bahia) - 779,94

UFBA - Vitória da Conquista (Bahia) - 770,81

UFG - Jataí (Goiás) - 762,85

UFMT - Sinop (Mato Grosso) - 772,60

A grande maioria dos cursos ficou com médias acima de 780, sendo que alguns beiram os 900. Isso em muito se deu ao fato de várias universidades terem estipulado altos pesos na redação, parte da prova do Enem que nesse ano mostrou bom desempenho de muitos candidatos.

Os estudantes que se inscreveram em opções cujas notas estejam abaixo da corte estão completamente autorizados a trocarem de opção, buscando uma outra faculdade onde possam se encaixar, ou trocando de curso.

As inscrições se encerram às 00h00 dessa quinta-feira, dia 14. Os resultados sairão no próximo dia 18, e logo após se iniciam as matrículas. #Educação