O Instituto de Nacional de Pesquisas Educacionais (INEP) divulgou por volta das 14 horas (horário de Brasília) desta sexta-feira (8), as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (#ENEM). Ao todo, mais de 5,7 milhões de estudantes participaram das provas realizadas em todo o Brasil, que facilita a entrada do fera no ensino superior e técnico. Grandes veículos de comunicação haviam publicado erroneamente que as notas haviam saído durante a madrugada de hoje, mas o INEP desmentiu a informação.

Apesar de toda a empolgação para descobrir suas notas, o estudante está tendo que ter paciência. Devido ao grande número de acessos, o site do Exame está apresentando falhas na apresentação dos resultados. Como a principal causa disso é o grande número de visitas simultâneas - não suportadas pelo servidor do INEP - o ideal é que o estudante veja suas notas e saia rapidamente do portal para dar lugar a outro interessado.

O espelho da redação, útil para que o estudante saiba o motivo de ter recebido determinada nota pelo seu texto, não foi disponibilizado junto com as notas, como já acontece em todos os anos. Uma decisão da Justiça Federal obrigava o órgão a divulgar o material, mas o Instituto ainda pode recorrer da decisão.

Promovendo o debate sobre a posição das mulheres na sociedade, principalmente em relação a violência de gênero, o tema da redação foi amplamente comentado logo depois da aplicação da prova nas redes sociais. Quase 4 milhões de publicações no Twitter foram geradas em função do assunto 'feminismo'.

O que posso conseguir com a nota?

As notas do ENEM podem ser utilizadas principalmente para conseguir uma vaga numa das universidades públicas de todo o país por meio do SISU (Sistema de Seleção Unificada). Para ter o direito de concorrer no sistema, o estudante não pode ter tirado 0 (zero) na redação, além de ter alcançado a nota mínima exigida para cada curso.

Caso não consiga uma vaga numa universidade pública, o #Governo pode conceder uma bolsa de estudas em uma faculdade particular. É o caso do Prouni (Programa Universidade para Todos), que funciona basicamente da mesma forma do SISU, só que com instituições educacionais diferentes. Caso seja aprovado no programa, o estudante precisa cumprir algumas regras durante a assistência às aulas, como ter um aproveitamento de pelo menos 75% do curso. Caso contrário, corre o risco de perder o benefício.

Se ainda assim não conseguir garantir uma vaga pelo ProUni, também é possível participar do FIES (Fundo de Financiamento Estudantil). Se tiver conseguido pelo menos 450 pontos na redação, como também na média das provas. A Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil são responsáveis pelo financiamento. No FIES, o estudante deverá começar a quitar as parcelas da faculdade particular em até 18 meses a partir do término da graduação financiada. #Educação