Nessa segunda-feira, 18, o Inep divulgou a lista de aprovados pelo Sistema de Seleção Unificada – Sisu – e no último dia 19 de janeiro começaram as inscrições para o Prouni, mas você sabe quais são as diferenças?

Sisu

O Sisu é uma forma de entrar em uma #universidade pública utilizando-se a nota do #ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio. A ideia é substituir o tradicional vestibular das universidades federais pela nota do ENEM, tornando o processo seletivo mais rápido.

Não existe um padrão de notas, de forma que cada instituição pode estipular a nota que achar necessária para obter uma vaga em determinado curso. Inicialmente o Sisu foi criado para substituição de vestibulares de instituições federais, entretanto, muitas universidades estaduais têm aderido ao processo seletivo de forma parcial.

A USP participou do Sisu pela primeira vez esse ano, entretanto, não disponibilizou ingresso pelo sistema para os cursos mais concorridos e tradicionais, como os de artes e comunicação. Da mesma forma, cerca de vinte cursos encerraram o Sisu sem nota de corte final, pois não obteve o número mínimo de candidatos para ocuparem as vagas, devido à falta de qualificação dos interessados.

Prouni

O Programa Universidade para Todos é quase a mesma coisa que o Sisu, entretanto, visa substituir o vestibular tradicional de instituições particulares e oferecer bolsas parciais ou integrais do ensino superior para os candidatos de baixa renda.

Para obter uma bolsa integral, além de ter a nota mínima de corte e ser aprovado no processo seletivo, o candidato deve comprovar que possui renda de no máximo um salário mínimo e meio por cada morador da casa. Tudo deve estar devidamente documentado, caso contrário a aprovação é cancelada e a vaga disponibilizada para uma segunda chamada ou lista de espera.

Para as bolsas parciais, o estudante deve comprovar renda per capita de até três salários mínimos mensais. O curso não é um presente do governo ou das instituições de ensino, mas o Estado reduz ou isenta as instituições de determinados impostos para que bolsas sejam ofertadas, é como uma troca de favores.

Não existe um melhor ou pior que o outro. O Sisu não exige renda mínima para se matricular, pois se tratam de instituições públicas e o Prouni exige certa vulnerabilidade econômica por se tratar de universidades privadas.

As duas modalidades ofertam pouco mais de 200 mil vagas distribuídas em mais de cem instituições e devido ao elevado número de interessados, até o último dia de inscrições a tendência é que a nota de corte seja alta nos cursos mais procurados, como Medicina, Direito e Administração.

Logo, não existe um programa melhor, existe formas diferentes de aquisição de bolsa que dependem,principalmente da qualificação de cada candidato e no caso do Prouni, também de sua condição financeira. #Bolsa Universidade