Por mais um ano seguido, o site do INEP enfrentou instabilidade na divulgação das notas do #ENEM. Após a página do INEP no Facebook e Twitter divulgar o endereço para ver os resultados, o site logo passou a ficar lento e para muitos nem chegou a carregar. Além de não ter sido divulgado o resultado da Redação, muitos relataram que o site nem abriu mais.

OS PROBLEMAS

Os participantes relataram, ao longo dos primeiros minutos, vários problemas relacionados. Nas redes sociais eram várias as reclamações sobre as falhas no acesso.

A assessoria do INEP informou que a nota da redação foi incluída no banco de dado e sugeriu, aos candidatos que não conseguiram localizar, limpar o cache do navegador e logo após atualizar a página de resultados.

O RESULTADO

Os estudantes usaram a nota do ENEM para tentar conseguir bolsas em universidades públicas através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) em 2016, além de bolsas em universidades públicas através do PROUNI. A consulta de vagas no SISU já está disponível e as inscrições serão abertas na próxima segunda-feira (11). Neste ano os alunos que não concluíram o ensino médio e fizeram o ENEM apenas por teste, terão suas notas divulgadas somente em março. Notícia boa para os concorrentes; assim, as notas de cortes em 2016 devem ser menores que nos últimos anos.

POLÊMICAS

Todos os anos, o ENEM é marcado por polêmicas. No passado, uma delas foi o aumento na taxa de inscrição (de R$35 subiu para R$ 63), além de ter sido diminuído o acesso à gratuidade e suspendendo o envio do cartão de inscrição pelos correios.

Além do corte de custos em alguns cursos, o SISUTEC Iprograma de ensino ao curso técnico) foi o mais atingido; em algumas regiões chegou a ter cortes de 60% nos cursos, diminuindo drasticamente as vagas. Tudo isso se deve ao corte de gastos, devido à forte crise financeira que o Brasil passou a enfrentar no ano passado.

Inclusive, para 2016, não está confirmada nenhuma edição do SISUTEC; tudo leva a crer que o programa do PRONATEC será definitivamente cancelado. #Escola #Crise econômica