Atualmente #Medicina é o curso mais concorrido do país, ambicionado por milhares de estudantes, mas com uma oferta de vagas pequena através de instituições de ensino superior públicas (federais ou estaduais). Mesmo em instituições de nível superior particulares, a concorrência é alta, à exemplo do novo curso aberto pelo Hospital Albert Einstein, que disponibiliza também alguns cursos online na área de saúde.

Muitos estudantes ficam vários anos em cursinhos pré-vestibulares e com grandes rotinas de estudo até conquistar uma vaga. Apesar de escolher uma universidade ao certo seja um luxo que a maioria dos vestibulandos não se pode dar, tendo em vista a concorrência, é de fato um sonho para qualquer futuro médico poder cursar Medicina em uma das maiores universidades do país.

Confira a seguir as 10 universidades do Brasil que oferecem os melhores cursos de Medicina, com base no Ranking de Cursos da Folha de São Paulo:

1 - Universidade de São Paulo (USP)

2 - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

3 - Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

4 - Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

5 - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

6 - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

7 - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP)

8 - Universidade de Brasília (UnB)

9 - Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa São Paulo (FCMSCSP)

10 - Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Destes, alguns cursos selecionam por vestibulares próprios, outros pelo processo do Sistema de Seleção Unificada (SISU), que nesse ano ocorreu entre os dias 11 e 14 de Janeiro. Outra edição, conhecida como SISU de meio de ano, deve ser realizada no mês de Junho, selecionando estudantes para cursos do segundo semestre, utilizando a nota do Enem de 2015. Ainda comenta-se a possibilidade da realização de um SISU extra, com vagas remanescentes de universidades de todo o país. Houveram ainda oportunidades pelo Programa Universidade Para Todos (PROUNI) e pelo Programa de Financiamento Estudantil (FIES).

Aos que não conseguirem em nenhum desses processos, resta outra ano de estudos extensivos para prestar vestibular numa nova aplicação do Enem. #Educação