Em uma entrevista para a imprensa no último dia 28 Aloizio Mercadante, ministro da #Educação, informou que serão oferecidas 105 mil vagas através da Rede Universidade do Professor para os profissionais que atuam em redes municipais e estaduais fora da sua área inicial de formação. É necessário ser professor efetivo.

As vagas serão oferecidas nas instituições federais de ensino sendo que as aulas deverão começar apenas no próximo semestre. As oportunidades serão divididas sendo 24 mil vagas no modo presencial em institutos ou universidades federais e outras 81 mil vagas a distância através da Universidade Aberta do Brasil.

O Censo Escolar do ano passado mostrou que no Brasil há 709.546 professores com contratação efetiva que dão aulas no ensino médio e nos anos finais do ensino fundamental, sendo que menos da metade apresenta formação compatível com a disciplina que ministram. De acordo com o Censo, 374.829 professores ainda precisam de formação superior, seja por não ter licenciatura ou por dar aulas em disciplinas diferentes da sua formação.

O objetivo principal da Rede Universidade do Professor é dar a oportunidade para que esses profissionais possam conseguir a formação adequada para que assim o número de professores sem formação seja reduzido.  Outra oportunidade é o Plano Nacional de Formação de Professores que consiste em cursos presenciais intensivos que são ministrados durante as férias da escola.

No Plano Nacional de Formação de Professores só é possível se inscrever para o primeiro semestre do ano que vem e apenas para o #Curso que corresponde a disciplina que o professor leciona.

Para Mercadante essa é uma das iniciativas que ajudarão a melhorar a qualidade da educação, pois é impossível esperar evolução sem investimento na formação de professores.

Para os interessados, as inscrições vão do dia 5 de abril até o dia 5 de maio através da Plataforma Freire. As inscrições serão validadas até o dia 6 de junho. O resultado dos inscritos aprovados sairá no dia 30 de junho.