Não há como fugir: os textos sempre farão parte de nossas vidas. Não importa se você estuda Ciências Humanas, Exatas, ou até Biológicas. Se você quer ser aprovado em um vestibular público ou particular, ou se seu curso é presencial ou a distância. Dentro ou fora da vida acadêmica, escrever bem sempre será um diferencial. Então, para começar a entender o mundo das palavras, hoje falaremos um pouco sobre os tipos textuais.

Os tipos textuais são formas definidas, com vocabulário e sequência específicos, que usamos na hora de escrever um texto. É um tema fácil, no entanto é importante ficar atento para não confundi-lo com os gêneros textuais (diálogo, entrevista). Estes últimos podem ser ‘moldados’ por nós, dentro do tipo textual que escolhemos.

Os tipos de texto mais conhecidos são a narração, a descrição, a dissertação, a injunção e a exposição. Abaixo você verá uma breve descrição de cada um deles, juntamente com os exemplos.

  • Narrativo

A narração simplesmente conta uma história, que pode ser real ou ficcional. Ela é organizada seguindo uma sequência lógica e temporal, ou seja, com um começo, meio, e fim (embora estes possam aparecer fora de ordem). São utilizados verbos de movimento que representam as ações das personagens no tempo e espaço. Geralmente quando aquele vizinho fofoqueiro fala sobre a vida de alguém, ele (ou ela) se utiliza da narração. O texto narrativo também é encontrado em contos, romances, piadas, etc.

  • Descritivo

O texto descritivo é como se fosse uma fotografia de algo ou de alguém, feito com palavras. Utiliza-se muitos adjetivos e verbos de estado. Quem descreve tenta retratar, da foma mais fiel, o que seus olhos viram, e às vezes também o que seus outros sentidos captaram. Desta forma, é possível fazer uma descrição objetiva (observando apenas o que é visível) e uma descrição subjetiva (deixando as emoções entrarem na dança). É comum também a descrição de sentimentos e sensações.

  • Argumentativo

A argumentação ou dissertação apresenta um texto sobre algum fato verídico, e contém um ponto de vista e uma série de argumentos que justificam a opinião de quem escreve. É marcada por uma linguagem lógica e objetiva, e os argumentos têm a função de convencer o leitor. Normalmente, o texto argumentativo é organizado em introdução, desenvolvimento e conclusão. É o tipo escolhido em redações para vestibulares e concursos, porém também pode aparecer em algumas propagandas.

  • Injuntivo

O texto injuntivo é utilizado com o objetivo de ensinar ou instruir o leitor. Possui uma sequência de passos onde os verbos aparecem predominantemente na forma imperativa. Ensina como executar uma determinada ação e é um dos mais fáceis de ser identificado. Podemos encontrá-lo em receitas culinárias, bulas de remédio e outros.

  • Expositivo

O próprio nome exposição já diz muito da natureza deste tipo de texto. Ele expõe algo, algum acontecimento ou objeto. Mantém alguma relação com a dissertação, porém no texto expositivo nem sempre se encontra pontos de vista ou argumentos visando convencer o leitor, dividindo-se assim em expositivo-informativo (sem argumentos) e expositivo-argumentativo (com argumentos). E muitos casos há apenas a apresentação e a explicação do objeto do texto, utilizando uma linguagem clara e simples. É o que ocorre com os dicionários e enciclopédias.

Não se esqueçam que é muito comum estes cinco tipos textuais aparecerem misturados. Ou seja, dentro de uma narração haverá quase sempre uma parte descritiva, assim como em um diálogo pode surgir um texto injuntivo, ou até uma exposição. Essa separação serve apenas para facilitar o nosso aprendizado. Portanto, na hora daquela prova, é bom ficar sempre atento! E caso você pretenda fazer #ENEM este ano, já pode aproveitar e estudar com antecedência os prováveis temas de redação. #Educação #Escola