Nesta sexta-feira, dia 15 de março, o Ministério da #Educação (MEC) divulgou o edital para o Exame Nacional do Ensino Médio (#ENEM). As inscrições podem ser feitas a partir do dia 9 de maio e vão até 20 do mesmo mês. Os estudantes que vão participar da seleção devem estar afiados, pois, conforme a tradição, a seleção acontecerá em dois dias do ano: 5 e 6 de novembro.

O Enem é atualmente o principal meio para ingressar em universidades federais, estaduais e também conseguir bolsa de estudos pelo Programa #universidade Para Todos (Prouni).

Inscrições

Para participar do concurso que garante acesso ao mundo acadêmico, é preciso pagar taxa de inscrição, que custa R$ 68 neste ano. Uma das novidades do Enem 2016 é que os estudantes já podem realizar o débito em qualquer agência bancária, lotérica ou correios. Até o ano passado, só era possível participar quem fosse pagar pelo Banco do Brasil. O valor pode ser quitado até o dia 25 de maio, às 21h59.

O exame

No dia da prova os estudantes também terão outra novidade pela frente: eles irão apresentar as impressões digitais, que serão afixadas no cartão-resposta.  O objetivo do MEC é evitar fraudes e aumentar a segurança do sistema de avaliações.

Quem estiver se preparando deve estar atendo para não deixar de cobrir nenhum ponto das disciplinas exigidas pelo Enem, divididas em grupos de conhecimento: 90 questões de Ciências da Natureza (Física, Química e Biologia) e de Ciências Humanas (História, Geografia, Sociologia e Filosofia) no primeiro dia.

Já no dia 6 de novembro haverá mais questões de Matemática e Linguagens (Português, Língua Estrangeira, Literatura, Artes e Educação Física), além de uma prova de Redação dissertativa-argumentativa sobre um tema atual.

Como funciona o Enem?

Os candidatos que vão prestar a prova pela primeira vez devem ficar antenados em como podem fazer uso da nota do Enem. Após a liberação da pontuação, fica aberto o prazo para a escolha de cursos possíveis pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificado), que aponta as opções de universidades e notas de "corte" (nota mínima para conseguir a vaga) dos diversos cursos de graduação.

Há a opção também de pleitear uma bolsa de estudos em universidades particulares pelo Prouni ou solicitar financiamento estudantil por meio do Fies.

Outras formas de usar a nota do Enem é obter certificação no ensino médio, conseguir uma bolsa de estudos pelo Ciência sem Fronteiras e tentar um curso técnico pelo Sisutec.