Infelizmente, o slogan "Pátria Educadora", do atual governo Dilma Rousseff, não tem passado de mera peça publicitária, já que o Ministério da #Educação é o que vem sofrendo mais cortes de orçamento, necessários, segundo a presidente, para reequilibrar as contas do país.

Principal meta da campanha da então candidata Dilma, nas eleições de 2014, ironicamente, a educação perdeu 7 bilhões em recursos federais, só no ano passado.

Neste ano, o cenário não é diferente. Semana passada, os cortes previstos nos ajustes fiscais propostos pela equipe econômica do governo federal afetaram os programas de oferecimento de bolsas do CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - e do Ciência sem Fronteiras.

Alegando que a manutenção de estudantes no exterior tem sido muito onerosa em razão da desvalorização da moeda nacional frente ao dólar, o governo suspendeu a oferta de novas bolsas de pós-graduação fora do país, as quais eram concedidas pelo CNPq, agência ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

De acordo com a agência, a descontinuação da oferta de bolsas é temporária e refere-se apenas a novas concessões. Afirma ainda que o projeto deverá ser retomado assim que as contas públicas estiverem recuperadas.

Conforme dados disponibilizados pelo próprio CNPq, em 2015, foram oferecidas apenas 68 bolsas, enquanto que, em 2014, o montante chegou a 7.883.

Outro programa que teve os incentivos congelados em razão desses ajustes, foi o Ciência sem Fronteiras, que concede bolsas de estágio, tanto no âmbito da graduação, quanto da pós-graduação, em universidades do exterior, além de trazer pesquisadores estrangeiros que tenham interesse em morar no Brasil ou estabelecer parcerias com projetos de pesquisa de universidades locais. Nesta modalidade, nenhuma bolsa foi oferecida em 2015, nem será oferecida em 2016. Em 2014, 26.119 oportunidades foram distribuídas.

Em relação a esses dados, o Capes - Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior - declara que os programas continuarão a ser executados até que todos os 13.300 estudantes beneficiados concluam suas capacitações no exterior. A coordenação dos programas afirma, ainda, que o objetivo de concessão de 101.000 bolsas de estudos, referente ao período de 2011 a 2014, foi alcançado, sendo que, deste total, 65.205 foram concedidas pela Capes e o restante pelo CNPq. 

Conforme informações dos órgãos responsáveis, por enquanto, não há nenhuma previsão de retorno para a concessão desse tipo de benefício aos estudantes brasileiros. #Curso #Bolsa Universidade