Conheça a história desta menina simples, filha de camponeses. O vídeo amador traduz toda a emoção do momento, que poderia ser um ato de protesto se não traduzisse uma bela atitude de reconhecimento, ao esforço de seus pais, que lhe garantiram além do sustento, o estudo desde a infância, na precária e difícil vida no campo.

Publicidade

Município Almino Afonso (RN)

Foi no pequeno sítio da Caraúba Torta, que a pequena Kauany cresceu e aprendeu a ler e escrever, num espaço cedido pela vizinha, embaixo de uma árvore, nos intervalos, enquanto dividia com outros três irmãos, o trabalho braçal na agricultura..

Publicidade

“Nós, não só eu, mas todos os meus irmãos e minha mãe, plantávamos juntos [...]", detalha, plantando milho, arroz, feijão e algodão, contando que a mãe até dizia para ela ficar, e deixar o serviço pesado para os outros irmãos. Mas ela acompanhava seu pai na maioria das vezes para ajudar e trabalhar. "Eu gostava, me sentia feliz de estar ao lado dele trabalhando”, conta Kauany Sousa, de 24 anos.

Trabalhava de sol a sol

Ela conta que o Sr. Nilson Pereira, seu pai, trabalhava de sol a sol e tinha uma renda que não passava de R$ 20 semanais, e a família tinha dificuldades até para manter na mesa os alimentos essenciais do dia a dia. “Me lembro de ver minha mãe preocupada todos os dias para dar um prato de comida para a gente [...]", conta a estudante, que lembra ainda das muitas vezes que dependiam da ajuda de vizinhos para completar a alimentação, mas que sua mãe sempre foi grata a Deus por nunca deixar faltar. "Eu lembro que na época meu pai ganhava R$ 20 por semana, para trabalhar no sol quente, todos os dias”, relata Kauany: "A lembrança [marcante] que eu tenho é a de ver ele sair de casa para trabalhar”..

Publicidade

Marcada pela sua própria história

Kauany Sousa não só surpreendeu os convidados na cerimônia de formatura do Curso de Serviço Social na UnP (#universidade Potiguar) como também emocionou a todos, ao descer as escadas, erguendo como um troféu, a enxada usada pelos seus pais para trabalhar na lavoura durante anos.

Veja no vídeo o momento mais marcante, em que a estudante faz a inusitada homenagem. Kauany se diz surpresa com a grande repercussão nas redes sociais, mas que já esta prestes a terminar um novo curso e pretende, se possível, fazer tudo de novo:

#Educação