A Unicamp tem 1,7 mil docentes, 8,5 mil técnicos administrativos e 18,6 alunos matriculados em cursos de graduação e 7,8 mil em cursos de extensão. Em assembleia realizada, os funcionários decidiram recusar um aumento de 3% proposto pelo Cruesp. A universidade informou que negociações estão sendo feitas e uma reunião para o dia 30 está agendada em São Paulo. A greve poderá atingir 4 mil pessoas e eles estão exigindo 12,3% de reajuste salarial e isonomia do piso em relação aos trabalhadores da USP. A categoria recusou a oferta de 3% feita pelo Conselho de Reitores das Universidades Estaduais de São Paulo (Cruesp), na última segunda dia 16. Os estudantes da Unicamp estão mobilizados também contra o corte de verbas que chega a 40 milhões de reais.

Em nota a Unicamp admite que o índice proposto de 3% não repõe as perdas salariais, mas, assim que a situação econômica do país melhorar, pode-se estudar um novo aumento. O engenheiro José Tadeu Jorge é o reitor da universidade desde 2013 que afirma que estão diante da pior #Crise econômica da história da autonomia universitária. Outra nota distribuída pela Unicamp afirma que o setor de saúde funciona normalmente, uma vez que o Hospital da Unicamp é referência no setor. O mesmo ocorre no setor de pesquisa e ensino também está funcionando normalmente. A universidade também oferece cursos online gratuitos que são muito úteis a todos os profissionais e estudantes no pais. A USP também oferece cursos online e estes modelos seguem normalmente o funcionamento. A crise econômica e política que o país atravessa tem causado grandes prejuízos ao setor educacional em todo o Brasil.

Assim que a situação econômica voltar à normalidade a tendência é que as universidades voltem a receber verbas e a qualidade do ensino precisa se manter para que o país possa ter melhores profissionais no futuro. No momento, a categoria está tentando negociar com o governo e prometem em breve uma solução para o impasse. A Unicamp é uma universidade de renome e precisa achar uma solução dentro de um prazo o mais curto possível, bem como o país precisa achar uma solução para todos os problemas na área de #Educação.