Em uma portaria publicada hoje, (12), pelo Diário Oficial da União, o Ministério da #Educação prorroga os prazos de validade dos documentos destinados à contratação e ao aditamento dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

A decisão foi anunciada devido à greve dos bancários que foi deflagrada no último dia 06, em todo o país. Sendo assim, os estudantes que tiverem seus DRI (Documentos de Regularidade de Inscrição) e DRM (Documentos de Regularidade de Matrícula), cujos prazos já tiverem expirado durante os dias da paralisação e até 10 (dez) dias após o término, poderão ser acatados pelos agentes financeiros do Fies, que são a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

Com a greve que afeta as atividades bancárias, os estudantes podem frequentar as aulas normalmente, pois, quando o contrato for assinado, ele irá cobrir todas as mensalidades junto a instituição de ensino, naquele semestre. Se não houvesse essa portaria do Ministério, o estudante que tivesse seu documento de inscrição, automaticamente, perderia a sua inscrição no programa.

Esses documentos são fornecidos pelas instituições de ensino, onde o aluno está matriculado. O aditamento é uma espécie de renovação do contrato junto com o Ministério da Educação, que o aluno tem que realizar todo semestre para que ele continue tendo o financiamento normalmente.

O objetivo do programa é oferecer, aos estudantes, financiamento de cursos superiores em instituições privadas, que tenham avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), com taxa de juros em torno de 6,5% ao ano, e o estudante terá um percentual de custeio conforme a renda per capita de sua família.

Para ter direito ao financiamento, o estudante precisa atender às seguintes condições acumulativamente: ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (#ENEM) a partir do ano de 2010, e ter atingido a média igual ou superior a 450 pontos sem zerar na redação, além de renda per capita familiar de até três salários mínimos. #Vestibular