A página “Professora Indelicada” tem atraído um público de professores e pessoas interessadas pela a #Educação, com publicações polêmicas. Ali, a maioria se apresenta como professores cansados do desgaste da profissão.

Muitos questionam a desunião da classe de professores e aproveitam o espaço para tentarem mudar determinas situações que ocorrem dentro das escolas, tanto públicas como particulares.

Em muitos momentos, os seguidores da página relatam casos de agressão moral, psicológica e até mesmo físicas. Demonstram estar cansados de uma rotina desgastante de trabalho. Procurando soluções para problemas diários.

Uma classe tão desvalorizada, que ainda se interessa em procurar soluções para problemas que não deveriam ser deles. Provavelmente, você já ouviu que: “Educação é à base de tudo.”. Mas como educar, ensinar alguém que não se interessa pelo que é ensinado, que acha que o professor nada mais é que um estorvo?

Sabemos que é dever do professor assegurar aos estudantes o direito de aprender, mas como essa classe pode cumprir o seu dever em meio a tanto desincentivo? É um ótimo questionamento, é aí que a página abre um espaço para debates sobre acontecimentos que deveriam desestimular aquele que leciona.

A partir dos debates surgem ideias e incentivos que ainda há uma chance de melhorarmos o sistema educacional, através de muito trabalho daqueles que lecionam por acreditarem que a educação pode melhorar o país ao qual vivemos.

Então, será que não é hora de reconhecermos os professores? Será que um salário base de mais ou menos $1.500 e falta de estrutura em escolas, vão incentivar as pessoas a cursarem cursos de licenciatura. Pode ser que daqui a alguns anos não existam mais profissionais para essa classe. Eles merecem respeito, são professores que lutam por uma vida melhor para si e para o próximo, muitas vezes sem o mínimo necessário para darem suas aulas.

Por isso, comente o que você acha sobre essa classe de profissionais e após compartilhe para que outras pessoas também possam debater sobre o assunto.  #reconhecimento