Com 9 anos de idade, o menino William Mails concluiu o ensino médio na Pensilvânia, Estados Unidos. Considerado um #Gênio da atualidade, ele já frequenta o ensino superior no College of Allegheny County enquanto está na espera da idade adequada - 17 anos - para ingressar no curso de astrofísica na Carnegie Mellon University. A intenção do garoto é, no mínimo, curiosa, ele quer provar a existência de Deus.

William tem muitos admiradores, entre eles seus professores, com os quais argumenta conceitos de Albert Einstein e Stephen Hawking.

Os pais do garoto lembram de quando ele tinha apenas 7 meses e já falava frases completas. Aos 2 anos, já sabia ler, escrever e fazia contas básicas. Com 5 anos, conhecia muito de geometria e foi assim durante toda a vida do garoto.

Com muita 'bagagem' e experiência em matemática, física, história mundial, entre outras, ele poderia escolher qualquer curso que quisesse, porém tem paixão por astrofísica e pretende se especializar na área. 

Peter Maillis, pai de William, disse ao jornal "Morning Ledger': "Quando você o vê brincando com as outras crianças, não consegue distingui-lo de qualquer outra da mesma idade, mas quando está em uma sala de aula, ele surpreende".

Profissionais da área de psicologia têm uma preocupação grande e temem que crianças tenham sua #Educação acelerada num ambiente de universidade, uma vez que não é apenas um espaço acadêmico, mas também social. William diz que este não é um motivo de preocupação: "Não me incomoda, estou acostumado com isso." 

O objetivo do estudante é provar a existência de Deus. Sua ideia é baseada no pressuposto de que somente uma força divina poderia criar os cosmos existentes no que ele mesmo chama de 'gravidade pura', ele então pretende fundamentar uma tese em cima disso.

Nancy Maillis, mãe de William, apoia o filho prodígio incondicionalmente: "Eu só quero que ele aprecie o dom que ele tem... Deus deu-lhe um presente, a pior coisa seria rejeitar esse dom e não usá-lo para a melhoria do mundo", diz ela. #universidade