Tecnologia Assistiva é o termo que identifica os Recursos e Serviços que contribuem para ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e consequentemente promover autonomia e Inclusão. O livro da autora Aline Melo, "tecnologia da comunicação para inclusão de portadores de deficiência mental", ajuda educadores nesse processo de interação entre aluno e professor. 

Os Recursos usados para facilitar a integração e inclusão do deficiente mental na sociedade vão desde jogos educativos manuais a um complexo sistema computadorizado (softwares e hardwares especiais), que contemplam questões de acessibilidade, dispositivos para adequação da postura sentada, entre outros. Já os Serviços são aqueles prestados por profissionais à pessoa com deficiência mental, visando selecionar, obter ou usar um instrumento de tecnologia assistiva. Como exemplo, podemos citar avaliações, experimentação e treinamento de novos equipamentos, que facilite sua integração.

A inclusão digital possui o papel de resgatar os excluídos e incluí-los na sociedade da informação, por meio de políticas que visem ao seu crescimento e autonomia.

Os professores precisam esta nesta inclusão. O livro "A Inclusão Digital do Professor: Formação e Prática Pedagógica" da autora, Maria Elizabeth Biancocini de Almeida, relata tal inclusão, tendo em vista que os professores em décadas passadas não usavam o computador como atualmente. Na #Educação, é fundamental para auxiliar os professores em suas aulas, recursos como o computador com internet acessa a redes de relacionamento interativo, como redes sociais, blogs, bibliotecas virtuais, jogos educativos, softwares educativos, caderno eletrônicos, telas sensíveis ao toque, teclados adaptados, acionadores, próteses para comunicação (deficientes mentais com vocabulário restrito), controle de ambiente entre outros.

O Projeto Maré Latina vem promovendo esta inclusão, oferecendo cursos gratuitos a alunos portadores de deficiência e educadores. Os cursos são de teatro, alfabetização, libras, braille, musicoterapia, aromaterapia, espanhol, produção literária e audiovisual, voltados a moradores deficientes ou educadores das comunidades do Rio de Janeiro.

A deficiência não é o único motivo que limita os portadores, mas a própria comunidade em que o individuo deficiente está inserido. Falamos, por exemplo, da falta de acessibilidade do local, ou o acesso a computadores adequados, entre outros recursos que facilitem seu aprendizado e autonomia, para ser de fato um cidadão participativo.

A acessibilidade foi tema de uma exposição no Rio de Janeiro, promovida pela UFRJ, em 2014, chamada de "Cidade Acessível, um desafio aos sentidos". Esta exposição mostrava os principais problemas encontrados pelos deficientes em uma cidade grande como o Rio. Nas comunidades cariocas este problema ainda é maior; por causas dos morros, becos e vielas, este acesso fica mais difícil, especialmente para os portadores de deficiência física.

Conclui-se que os avanços tecnológicos ajudam na inclusão digital, social, educacional e profissional. Mas recursos manuais ou artesanais também ajudam os alunos portadores de deficiência mental ou outras deficiências. Assim como projetos sociais, como o projeto Maré Latina, que promovem a inclusão de deficientes em áreas muitas vezes esquecidas pelos governantes.

Para adquirir o livro, entre em contato com o blog Projeto Maré Latina, hospedado no Blogger ("blogspot").