Alguns candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (#ENEM) receberam na manhã da quarta-feira (2), por mensagens de texto, via celular, a confirmação do adiamento das provas.

Estima-se que 191,4 mil estudantes tenham recebido a comunicação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O adiamento das provas se deve ao fato de mais de mil escolas e universidades em todo o país estarem ocupadas pelos estudantes, que protestam contra a reforma do ensino médio e a #PEC do teto dos gastos públicos.

Os candidatos afetados por essa decisão, segundo o Inep, realizarão as provas no dia 3 e 4 de dezembro. Porém, não há informações de quando serão divulgados os novos locais de provas. 

Na tarde de terça-feira (1º), o Inep divulgou a lista dos locais mais afetados por ocupações de estudantes. Os estados com o maior número de ocupações são: Minas Gerais e Paraná.

Estudantes usaram as redes sociais para manifestar indignação com essa decisão do Inep de adiar o exame, pois, alguns deles, julgam essa decisão injusta.

Algumas pessoas acreditam que adiar a prova para os 191,4 mil estudantes pode favorecê-los. 

O Enem estava previsto para acontecer em 16.476 locais de provas de 1.727 municípios brasileiros.

POLÊMICA

De acordo com o portal do G1 notícias, na tarde de quarta-feira (2), o Ministério da #Educação informou que acionou a Advocacia Geral da União (AGU) para derrubar na Justiça a ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal no Ceará que pede a suspensão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), previsto para acontecer no próximo fim de semana. Segundo o procurador do Ministério Público Federal no Ceará, aplicar provas em diferentes datas fere a isonomia da seleção dos candidatos. 

O MEC divulgou em nota que há um “grave equívoco na argumentação apresentada pelo procurador do Ceará” e que "é lamentável qualquer tentativa que venha gerar insegurança e tumultuar um exame que afeta a vida de 8,6 milhões de estudantes e seus familiares".

Ainda segundo o portal G1, a ação será julgada pela 8ª Vara da Justiça Federal no Ceará. Caso a Justiça aceite a ação, a suspensão do Enem é válida para todo o Brasil. Diante da urgência, o pedido pode ser julgado até sexta-feira (4), de acordo com a Justiça Federal. #MEC