O Ministério da #Educação (MEC) decidiu por limitar a quantidade de vezes que o candidato poderá usar o benefício da isenção de taxas no Exame Nacional do Ensino Médio. Agora o candidato que usar do benefício por três vezes, terá que pagar a taxa na quarta vez.

Outra medida tomada, foi o fim do Certificado do Ensino Médio, que será substituído pelo Exame Nacional para Certificação de Competências De Jovens e Adultos (Encceja), desativado até então. Segundo o MEC, dos 990 mil candidatos que se inscreveram para tirar o Certificado, apenas 7% alçaram a aprovação. Para os estudantes do primeiro e segundo ano do Ensino Médio, que usavam o #ENEM para "treinar", também haverá mudanças. Os alunos não poderão mais usar o Enem como teste, segundo a Secretária executiva do Inep, Maria Helena Guimarães de Castro. A opção será um simulado específicos, com base na prova do Enem, para esses estudantes.

O principal objetivo dessas mudanças é deixar a prova mais barata. De acordo com o MEC, os custos do exame, somente esse ano, chegaram a R$ 650 milhões, valores esses que incluem os "treineiros" - foram mais de 1 milhão inscritos, e os que buscavam o Certificado do Ensino Médio.

Enem 2016

Em decorrência das ocupações em 430 escolas, mais de 270 mil candidatos terão que fazer o exame nos dias 3 e 4 de dezembro. As escolas estavam ocupadas em protesto contra a PEC 55, antiga 241, que congela os gastos públicos por 20 anos, para que as despesas não ultrapassem a inflação.

A notícia da adiamento da prova para uma parte dos candidatos gerou grande insatisfação nas redes sociais, por parte dos estudantes e familiares, que se sentiram prejudicados com a mudança. Porém, de acordo com professores entrevistados no G1, o único diferencial poderia ser o tema da #redação, já que não possui a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI).

O Enem, que teve como tema da redação na primeira aplicação, o "Combate a Intolerância Religiosa", já disponibilizou os locais de prova da segunda aplicação do exame, que pode ser consultada na página do Enem-Inep e pelo aplicativo do Enem.