No próximo fim de semana, dias 5 e 6 de novembro, está marcado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O teste, que irá servir como nota para ingresso em diversas universidades federais pelo país, além de poder ser usado como requisito básico para bolsa em universidades particulares e inscrição no Fies, está correndo risco de ser adiado em algumas cidades. A proposta foi dada por meio do Procurador da República, Oscar Costa Filho, do Ceará. O #MPF entende que não há possibilidade de isonomia, caso o exame seja aplicado em dias diferentes.

Tudo começou por conta das ocupações que acontecem em alguns locais de prova, como escolas e universidades federais. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), que organiza a seleção pelo país, será necessário adiar as provas em algumas cidades porque 191 mil pessoas iriam ser prejudicadas, caso não tivessem acesso aos locais para onde foram designados para realizar o exame. Estes estudantes estão recebendo alerta por meio de SMS em seus celulares, com o novo local onde irão realizar o exame. A data provável será em dezembro.

Contudo, um problema surgiu por conta de um novo dia para fazer o #ENEM. O procurador que está tentando anular o Exame disse que a teoria de resposta ao item não seria aplicada para a prova de redação, o que causaria um prejuízo aos demais concorrentes às vagas nas universidades. Além disso, a nova data daria uma "chance" a mais para que os inscritos menos preparados possam estudar mais e ir melhor na prova que já ocorreu para quem pôde se preparar apenas para este fim de semana.

"As provas objetivas seguem a TRI, o que equilibra as chances. Mas as redações não. Isso prejudicaria os candidatos. Logo, a redação, que, muitas vezes, decide a classificação", justifica o procurador cearense.

Quem julgará a ação é o juiz Ricardo Cunha Porto, da 8ª Vara da Justiça Federal do Ceará, até a sexta-feira devido à urgência a medida. Se for entendido como necessário o cancelamento, a decisão implicará para todo o país e uma nova data deverá ser marcada em breve, para que os inscritos, na totalidade, possam fazer o exame.

Pela internet, muitos estudantes estão revoltados com a questão. Para eles, é preciso mais seriedade na hora de preparar a seleção, que é a maior do país e envolve o gasto de dinheiro e tempo dos alunos.

"É muita injustiça isso. Tá na hora do governo levar o Enem a sério", escreveu uma estudante do ensino médio pelo Facebook. #Enem2016