Segundo informações do G1 Sergipe, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou, na tarde desta sexta-feira (9), que um total de 153 presidiários realizaram inscrições para fazerem a prova do #ENEM na próxima semana. As provas são específicas para pessoas que cumprem pena no regime fechado, intitulada #Enem PPL, ou Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdades.

Publicidade

Ainda de acordo com o Inep, do total de inscritos, 145 realizarão a prova com o intuito de conseguir o certificado do Ensino Médio.

Publicidade

O exame acontecerá na próxima semana, nos dias 13 e 14, dentro do #Presídio onde foram inscritos. Ainda esta semana, medidas preventivas foram adotadas pela Secretaria de Estado da Educação, com o apoio do Programa Pré-Universitário do Departamento de Apoio ao Sistema Educacional (DASE/SEED), realizando, na ultima quarta-feira (7), uma correção para as 25 detentas da unidade prisional feminina (Prefem), situada no município de Nossa Senhora do Socorro (SE).

A iniciativa da revisão, segundo informações, partiu da associação firmada pela SEED e da Secretaria de Estado da Justiça (Sejuc), tendo a finalidade de promover o comportamento educacional e a reintegração ao convívio social dessas pessoas privadas de liberdade..

Publicidade

Segundo pesquisas, o Enem para Pessoas Privadas de Liberdades registrou no Brasil, neste ano de 2016, o contingente de 54.358 inscritos de presídios e de unidades socioeducativas. Evidência que 78% do que fizerem a prova buscam obter o certificado de conclusão do Ensino Médio, conforme os dados averiguados, 58% dos inscritos são residentes do Sudeste, 17% estão no Sul, 12% se concentra na região Nordeste, 7% no centro-oeste e 6%, no Norte.

Para a realização da prova, foi firmado um compromisso entre as entidades e unidades penitenciárias, além do Inep, para a aplicação em cada localidade especifica. A prova terá o mesmo valor correspondente aos exames do Enem, para que se possa estabelecer a igualdade perante a lei. #Justiça