Quem tem filhos já sabe: quando o início do ano chega, é hora de se programar para a maratona de compra de materiais escolares. E a maior dificuldade dos pais neste momento está em comprar materiais de qualidade e com preço justo e acessível, uma vez que as listas de materiais enviadas pelas escolas costumam ser extensas e resultam em gastos que, muitas vezes, impactam no orçamento da família.

Aqui estão algumas dicas que podem tornar a sua compra de material escolar mais barata:

1. Verifique com as crianças todo o material que elas já possuem e que pode ser utilizado

Isso vai colaborar para que elas aprendam a evitar o consumismo e o desperdício.

Publicidade
Publicidade

Peça para que procurem tudo aquilo que ainda esteja em boas condições de uso: canetas, lápis de cor, estojos, etc. Vocês só vão repor aquilo que realmente é necessário.

2. Experimente juntar-se com outros pais e fazer as compras no atacado

Entre em contato com outros pais e pergunte pelos que tem interesse em fazer a compra do material escolar no atacado. Desta forma, vocês podem conseguir bons descontos. Entrem em um acordo sobre quem tem algum tempo disponível para ir à loja e escolher os itens.

3. Peça emprestado – principalmente os livros

Procure por alunos mais velhos que possam emprestar os livros usados para seus filhos e, de quebra, você poderá ensiná-los a ter cuidado com aquilo que pegam emprestado. Ou você pode ir a sebos, ou até mesmo na internet, e conseguir livros usados por preços mais acessíveis.

Publicidade

4. Não leve seu filho às compras

Crianças são grandes consumidores por impulso e certamente poderão optar por materiais mais caros e muitas vezes desnecessários. Além disso, a movimentação intensa nas lojas nesse período pode não ser um ambiente agradável para a criança.

5. Algumas lojas dão descontos em materiais usados – aproveite!

Existem lojas que fazem campanhas de arrecadação de materiais usados, sobretudo folhas de cadernos que não foram utilizadas. Estas lojas costumam oferecer descontos em materiais novos em troca dessas doações.

6. Cuidado com os personagens famosos

Seu filho pode dizer a você que quer a lancheira, a mochila, o caderno, o estojo e as canetas do seu personagem ou programa favorito, mas produtos licenciados geralmente custam caro – às vezes o triplo do preço. Negocie com as crianças: elas podem escolher apenas um item de seu personagem favorito.

7. Compare preços

Faça sempre uma pesquisa em pelo menos três lojas antes de comprar. Vale pesquisar também pela internet.

Publicidade

Muitas vezes as condições de pagamento online são mais flexíveis. Avalie onde é mais vantajoso comprar.

8. Não é preciso consumir marcas caras para ter qualidade

A marca pode encarecer o produto. Muitos dos fabricantes de marcas caras possuem outras linhas dos mesmos produtos, de nomes menos conhecidos. E na maior parte desses casos, a linha mais barata tem qualidade bastante similar a linha mais cara do mesmo fabricante. Portanto, marca não é tudo. Pesquise as diferentes marcas e linhas de produtos e opte por uma de qualidade, mas que não necessariamente leve nome famoso.

9. Vá às reuniões escolares – e questione coisas como:

escolas pedirem materiais de uso coletivo, como papel higiênico, sabonete, grampos, etc; tais itens não deveriam constar na lista de materiais escolares. Também não é ético que as listas exijam marcas específicas de produtos.

10. Poupe dinheiro para a lista do ano seguinte

Este é um gasto que você terá anualmente até que seu filho se forme na escola. Então você pode se programar para este período poupando dinheiro durante todos os meses do ano, para a compra do ano seguinte, diminuindo assim o impacto da compra de volta às aulas em seu orçamento familiar. #volta as aulas #Economia #Educação