A rede pública de #Educação enfrenta grandes desafios em busca de melhorias visando o desenvolvimento do cidadão, porém, as dificuldades em oferecer educação pública de qualidade estão presentes nos centros educacionais de todo o país. Mas poucos assuntos são tão delicados quanto a questão da #Inclusão social dentro das escolas.

O artigo 208 da Constituição brasileira apresenta como dever do Estado o atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino. Mas na prática o que se vê são escolas regulares sem condições mínimas de receber alunos com deficiência e isso não diz respeito apenas a estrutura física dos prédios.

Publicidade
Publicidade

A questão da presença de barreiras arquitetônicas nas escolas ainda é presente, porém existem outros problemas sérios a serem considerados quando falamos sobre inclusão nas escolas regulares, e a falta de capacitação do profissional é um deles.

Nos últimos 15 anos, o Brasil aumentou em mais de 1000% o número de estudantes de inclusão no ensino regular, e em uma sala de aula com aproximadamente 35 a 40 alunos, o professor, que na maioria das vezes não recebeu nenhum preparo específico para lidar com as especificidades de seu aluno com deficiência, se vê na obrigação de atender as necessidades desse estudante e ao mesmo tempo coordenar seu trabalho sobre os demais.

Trata-se de um processo desgastante e carregado de responsabilidades. O profissional de educação não recebe o apoio necessário para produzir resultados eficientes, e isto independente de suas habilidades e competência.

Publicidade

Auxiliares em sala de aula

No caso de algumas redes municipais, as instituições educacionais contam com a assistência do estagiário. Esse profissional de sala de aula tem como dever auxiliar o professor no trato com o aluno com necessidades especias, caso haja um em sala de aula. Porém não há profissionais suficientes para a demanda geral. Além disso, os estagiários também enfrentam problemas por não terem recebido o treinamento necessário a fim de oferecer aos seus alunos o auxílio devido.

O que se vê são escolas abarrotadas de alunos especiais sem o atendimento que deveriam receber. O desenvolvimento desses estudantes acaba sendo prejudicado e aquilo que era para der benéfico, deixa de cumprir esse papel. #salas regulares