Segundo estudiosos do assunto, o processo de familiarização das crianças com a linguagem escrita deve começar a partir do seu próprio nome, já que é o símbolo que as diferencia umas das outras e as identifica na sociedade.

Na escola, a função social do nome e a construção de conhecimentos relativos à escrita e identificação das letras podem ser exploradas de diversas maneiras, já na etapa da educação infantil.

Aqui algumas possibilidades de brincadeiras que podem envolver as crianças de forma prazerosa e significativa quando o assunto é o conhecimento e escrita do nome: #Educação

  • Caça ao tesouro – O #professor deverá escrever o nome das crianças num pedaço de papel e guardar em saquinhos coloridos no local da brincadeira. Os saquinhos serão escondidos pelo professor que deverá explicar às crianças que o tesouro a ser achado é o próprio nome. Se por acaso alguma #criança achar o nome que não é o seu deverá manter o tesouro escondido até que seu dono o encontre. Caso alguém não consiga, de imediato, poderão ser formados grupos de caçadores para apoiar os colegas. Importante deixar visível uma lista em tamanho grande com nome dos alunos para servir de apoio durante a brincadeira. No saquinho poderá colocar um doce qualquer.
  • Bingo dos nomes – O nome das crianças deverá ser escrito num papel. Antes de começar, o professor apresenta as “letras do bingo” lendo todo o alfabeto com as crianças antes de colocá-las no pote ou caixa de onde irá chamar pausadamente cada letra durante a atividade. Sortear uma por vez e observar a marcação das crianças. Primeiro perguntar que letra é. Corrigir só depois de falarem, se necessário. Cada letra chamada deverá ser escrita no quadro pelo professor para visualização das crianças. Quem completar a cartela gritará “bingo” (se houver algum mimo deverá ser entregue neste momento). O jogo termina quando todos completarem suas cartelas.
  • Dança das cadeiras – O nome das crianças deverá ser fixado nas cadeiras. Organizar em círculo para fazer a “dança das cadeiras” que consiste em dançar ao som de uma música animada em volta das cadeiras sendo que cada criança deverá sentar somente na cadeira que tem o seu nome quando a música parar. O professor deverá mudar a posição das cadeiras de vez em quando.
  • De quem que é? – Em uma roda, apresentar fichas coloridas com nomes das crianças com algumas letras faltando. Espalhar as fichas na mesa ou no chão e desafiar as crianças a descobrirem de quem é cada nome ou que procurem seu próprio nome. Acompanhar a atividade de modo a perceber as hipóteses, comparações, levantar questionamentos e auxiliar na resolução do problema. As crianças deverão com lápis fazer suas tentativas de completar os nomes. Disponibilizar cartaz com nome das crianças para apoio.
  • Jogo da forca – O professor primeiramente escolhe o nome de um aluno. Desenha no quadro uma forca e traços correspondentes com a quantidade de letras do nome da criança da vez. Todos terão direito de dizer uma letra que, se certa para aquele nome, deverá ser escrita pelo professor no local correto. Se não, escrita no quadro para visualização das crianças. Para cada erro o professor desenha uma parte do corpo. Interessante desenhar as partes do corpo lentamente de forma a oferecer algum risco, mas garantindo a chance de descoberta das crianças antes que o boneco seja enforcado.
  • Repolho – Escrever o nome das crianças em folhas de ofício. Amassar cada folha uma sobre a outra simulando um repolho. Organizar a turma em círculo. Colocar música ou cantar com as crianças. Quando a música parar, o repolho também para de rodar. Quem estiver com o repolho na mão deverá retirar uma das folhas e dizer de quem é o nome escrito. A brincadeira vai até acabar o repolho.
  • Arremesso da letra inicial – Encher bexigas pequenas com água ou usar bolas de meia. Afixar em parede externa cartões grandes com letras do alfabeto. As crianças deverão acertar a letra inicial ou todas as letras na sequencia correta do seu nome com o objeto.