A crise na #Educação brasileira preocupa toda nação há muito tempo e, seguidamente, a população reclama das políticas públicas do país em relação a educação. Se espera mais há muito tempo. Mas o que irá mudar na prática? Veja algumas das Mudanças propostas pelo MEC:

  1. O Ensino Religioso foi excluído da Base Nacional comum ficando a cargo dos estados verificarem suas necessidades regionais;
  2. O conteúdo de História deverá respeitar sua cronologia;
  3. O Ensino da Língua Inglesa deixa de ser optativo e torna-se obrigatório;
  4. O Conceito de Gênero não deve ser trabalhado como conteúdo e, sim, o respeito à pluralidade;
  5. O texto apresenta 10 habilidades que os alunos deverão aprender;
  6. Toda Criança deve estar alfabetizada até o segundo ano do Ensino Fundamental.
  7. A Educação infantil ganha parâmetros de quais são os "direitos de aprendizagem e desenvolvimento" para bebês e crianças com menos de seis anos.

A base nacional vai nortear o que cada aluno deve aprender até o fim da Educação Infantil e, respectivamente, até o nono ano do Ensino Fundamental.

Publicidade
Publicidade

Isso ficará claro tanto para escolas quanto para os pais. A ideia implícita é que os pais participem mais, cobrando de cada #Escola ou mesmo professor.

Segundo a secretaria executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, “A Educação Infantil não deve apenas cuidar das crianças e, sim, promover os estímulos adequados e entender o contexto em que está inserida. Isso pode começar pelo conto de histórias, com a cantar de músicas e outras coisas mais. Atualmente as crianças estão além do nosso tempo. Ainda afirmou em entrevista ao G1 que “As pesquisas mostram que as crianças que chegam com vocabulário melhor mais cedo, desenvolvem-se mais”.

MEC diz que nova Base Nacional Comum Curricular será aprovada até o fim do ano

O documento foi entregue no Conselho Nacional de Educação nesta quinta feira, para análise, antes da sua homologação pelo MEC.

Publicidade

Segundo o Ministro Mendonça Filho, a nova Base Nacional Comum Curricular deverá ser aprovada até o fim do corrente ano.

Após a homologação, as Secretarias Estaduais de Educação terão de estudar a proposta e propor a adequação das escolas do seu território. Cada estado irá trabalhar com sua regionalidade, o que é importante para ela. Isso fará com que os professores voltem a refletir no que chamam de processo de aprendizagem dos alunos. Serão algumas horas de reflexão nos próximos anos. Entende-se então, que os municípios terão dois anos para se adequarem.

Seria isso o começo de uma grande virada na educação do Brasil? Depende, também, de você. Se cada um fizer sua parte, a mudança virá. #2016