É muito comum ouvir pessoas se questionando: Como consigo aprender inglês ou qualquer outra língua?

As pessoas que estudavam inglês ou qualquer outro idioma na década de setenta ou oitenta, tinham uma dificuldade imensa de se expor ao idioma. Não havia #Internet como conhecemos e sua expansão possibilitou o acesso à imensidão de informação que possuímos nos dias atuais.

Exposição

Se uma pessoa lê reportagens em sites de notícias norte-americanos, assiste a filmes, séries ou vídeos no Youtube com conteúdo em inglês e ainda ouve músicas na língua estrangeira, mesmo vivendo em um país onde o português é o idioma principal, esta pessoa estará exposta ao idioma alvo, o que os poliglotas chamam de target language.

A exposição ao idioma alvo é a parte mais importante no aprendizado da língua inglesa, pois é ela que possibilita o aprendizado do vocabulário, da pronúncia e até mesmo possibilita o aprendizado da gramática de forma inconsciente, pois “acostuma” o estudante a determinados tempos verbais e formas gramaticais, sem que haja determinada percepção durante o processo.

Publicidade
Publicidade

A internet é a principal forma de se aprender um novo idioma e, desta forma, o estudante deve utilizá-la sabiamente para obter o máximo de exposição possível que estiver ao alcance.

A real importância da exposição

Muito pouco se fala sobre a importância da exposição no processo de aprendizado de um novo idioma. Se o estudante estiver aprendendo uma língua estrangeira, e obtiver apenas 4 horas de exposição semanal durante as aulas em alguma escola de idiomas, não será o suficiente para que ele atinja a fluência.

Se ele retornar para a sua casa e não se expor à língua estrangeira, pouco adiantará as 4 horas semanais. A verdade, que pouco se fala, é que é necessário um período de exposição diária, mesmo que seja apenas meia hora por dia ou até uma hora. Quanto maior for seu tempo de exposição, mais rápido irá progredir.

Publicidade

Com este alto grau de exposição e estudo, ainda que o estudante esteja morando em um país falante de língua portuguesa, o cérebro provavelmente irá começar a funcionar na língua inglesa, ou seja lá qual idioma a pessoa estiver aprendendo. Este é o momento em que o aprendiz autodidata irá começar a desenvolver uma nova habilidade, diferentemente das outras quatro habilidades citadas anteriormente. O estudante começará a pensar em inglês, algo muito comum entre as pessoas que já estudaram o idioma e alcançaram determinado grau de fluência.

Neste ponto, será capaz de praticar a habilidade “Thinking” e se preparar para o Speaking. #2017 #É Manchete!