O livro infantil "Enquanto o Sono não Vem", que aborda temas como incesto para um público alvo de crianças entre 6 e 8 anos, foi totalmente desaprovado pelo MEC e retirado das salas de aula por ordem do Ministro da Educação, Mendonça Filho. Na última quinta-feira (8), o senador Magno Malta parabenizou o ministro pela decisão e postou vídeo apoiando o MEC pela atitude, através de áudio postado em suas redes sociais.

De acordo com Mendonça Filho, ele censurou o tal livro infantil por abordar um tema tão delicado como o incesto e ser distribuído em escolas públicas do país, principalmente para crianças que não sabem do que se trata o tema.

Publicidade
Publicidade

Segundo o parlamentar, o livro de poesias infantis é herança do governo Dilma Rousseff e pertence ao "kit gay", pacote implantado em 2010.

O senador Magno Malta aproveitou para fazer um alerta contra outros #Livros que já estão inseridos e prontos para circular, que tem essa mesma linha. "Quero parabenizar o Ministro da Educação pela decisão em favor das crianças e das famílias brasileiras", disse Malta, também autor da nova CPI dos Maus Tratos Infantis.

O Livro

"Enquanto o Sono não Vem" é narrado de forma simples para se fazer entender por alunos do primeiro ao terceiro ano fundamental e conta "A triste história de Eredegalda", uma lprincesa que ao recusar casar-se com o rei, seu próprio pai, e ter sua mãe como criada dele, é presa em uma torre do castelo. Irritado com a recusa da filha, o rei manda castigá-la e a deixa sem água.

Publicidade

Com muita sede, a jovem pede água à mãe e às irmãs, mas elas também são ameaçadas de morte pelo rei.

Para o senador, está claro que os autores tentaram incutir ideias de forma muito aberta na cabeça das crianças numa tentativa de mudar a ideologia da educação passada à família brasileira. O senador ainda revela que sua assessoria está trabalhando e denunciando, há bastante tempo, junto a esse tipo de mensagem de cunho sexual para crianças.Ele também espera que, assim como a posição do Ministro, outros critérios para livros didáticos devam ser tomadas.

Magno Malta, de 59 anos, além de senador, é pastor e cantor evangélico e filiado ao Partido da República. "Um homem que não luta por algo que defende perde a dignidade", afirma Malta. #Infância