Escrever bem é uma atividade que requer uma série de movimentos para expressar alguma ideia de forma clara. Vamos ver alguns desses movimentos para mostrar como aplicá-los na sua redação. Esses movimentos partem da premissa de que uma boa escrita argumentativa começa dando lugar ao pensamento dos outros, para então aplicar o nosso próprio e assim ir construindo um verdadeiro diálogo.

Esta é a ideia central do livro 'Eles falam, eu falo", de Gerald Graff e Cathy Birkenstein, cujos movimentos vamos ver, resumidamente, agora.

Comece experimentando o "na opinião deles"

Ao iniciar um argumento, comece com um ato de escutar. Dê voz ao que os outros estão dizendo, indicando qual alegação você irá responder.

Publicidade
Publicidade

Exemplo de movimento: " Em seu trabalho, Y e Z fizeram duras críticas sobre ____ em relação à ____".

Assim, para tornar o texto mais compreensível, inclua logo no início o pensamento daqueles a quem pretende emitir uma resposta. Recomendo também que utilize essa técnica ao longo do texto, sempre que iniciar um novo argumento. Com este modelo, você pode criar as suas próprias variações para melhor se encaixar na sua redação.

Aplicando o "em minha opinião"

Após dar voz à opinião deles, você precisa começar o movimento de apresentar a sua própria voz. Talvez essa seja a parte mais difícil, provavelmente por falta de prática acadêmica mesma.

O movimento consiste em apresentar três formas comuns e fáceis, que são: concordar, discordar ou alguma combinação dos dois.

Discordar, mas explicar o por que: não basta apenas discordar do "na opinião deles".

Publicidade

Tem-se que apresentar os argumentos desta discordância, sustentando assim o que você diz.

Exemplo de movimento: "X está equivocado, porque ignora as recentes descobertas de ____".

Concordar, mas com uma diferença: da mesma forma que é preciso evitar simplesmente contradizer as opiniões alheias, é necessário também fazer mais do que só repetir os pontos da afirmação com a qual concorda. É preciso trazer algo novo para acrescentar ao pensamento anterior.

Exemplo de movimento: "A teoria de X sobre ____ é de grande utilidade, porque lança luz sobre o difícil problema de ____".

Concordar e discordar ao mesmo tempo: este talvez seja o modelo mais interessante para utilizar. Concordar e discordar ao mesmo tempo te ajudará a ir além no debate, e é também uma forma para sutilmente se inclinar mais para a concordância ou discordância.

Exemplos de movimento: I) "Embora discorde de muito do que X diz, concordo plenamente com sua conclusão final de que ____". II) "Apesar de eu reconhecer que ____, eu ainda insisto em que ____". III) " Estou em dúvida sobre a afirmação de X sobre ____. Por um lado, concordo que ____. Por outro lado, eu não tenho certeza se ____".

Publicidade

Dizer por que é importante

Ainda que um tópico seja interessante para você, os leitores precisam saber o que está em jogo no texto e por que eles deveriam se preocupar. Assim, basta você se colocar duas questões: "quem se importa?" e "para quê?".

Quem se importa?: é mostrar quem ou qual grupo de pessoas se importa com o que você tem a dizer, fazendo com que o seu texto faça parte de um grande diálogo mostrando que outros, além de você mesmo, tem interesse no assunto.

Exemplo de movimento: "Essa interpretação contesta o trabalho daqueles críticos que há tempos haviam concluído que ____".

Para quê?: significa ligar o argumento a assuntos maiores, onde os leitores parecem de imediato já dar atenção. Não é suficiente apenas apresentar quem se importa com o seu texto, pois o público-alvo não necessariamente pode reconhecer qual o envolvimento necessário que deveria ter com o argumento. Assim, você também deve mostrar a ele as implicações e consequências da alegação que você propõe.

Exemplo de movimento: "Apesar de X poder parecer banal, é de fato crucial em termos das questões atuais sobre ____".

Esses movimentos ajudarão você a desenvolver uma escrita coerente e eficaz. Bons estudos! #estudo #escreverbem