A língua portuguesa é falada oficialmente em dez lugares do mundo: Portugal, Brasil, Moçambique, Guiné Equatorial, Timor Leste, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola, e Guiné-Bissau.

Nos países do MERCOSUL, Mercado Comum do Sul, (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela) é obrigatório o ensino do português como disciplina escolar.

Alguns lugares utilizam a língua portuguesa de maneira não oficial, ou seja, o idioma é falado apenas de forma restrita e por uma parcela da população, como em Macau e Goa (um estado da Índia).

Hoje, o domínio do português nos vestibulares e na área de trabalho é imprescindível para um rumo de sucesso.

Publicidade
Publicidade

Os erros básicos de português são ocasionados por falta de atenção ou desconhecimento. Muitos erram palavras com som e escritas iguais e significados diferentes.

Confira algumas dicas importantes para aprimorar a língua portuguesa:

Emprego da Letra G

  • Substantivos terminados em: (agem) garagem, (igem) origem, (ugem) ferrugem.
  • Palavras terminadas em: (ágio) estágio, (égio) egrégio, (ígio) prodígio, (ógio) relógio, (úgio) refúgio).
  • Palavras derivadas de outras que se grafam com g: (massagem) massagista, (selvagem) selvageria, (gesso) engessar.
  • Tigela, gengiva, gilete, estrangeiro, giz, algema, auge, megera, rabugento e etc.

Emprego da Letra J

  • Palavras derivadas de outras terminadas em –ja: Laranja (Laranjeira, laranjinha), loja (lojinha, lojeca, lojista), cereja (cerejeira).
  • Todas as formas de conjunções terminadas em –jar ou –jear: Arranjar (arranje, arranjemos, arranhem, arranjei, etc.), gorjear (gorjeia, gorjeiam e etc).
  • Palavras de origem ameríndia (índios nativos americanos) ou africana: canjica, mogi, pajé, jiboia e etc.
  • Berinjela, cafajeste, majestoso, sujeira, traje, rijeza e etc.

Fonema S:

  • C OU Ç: anoitecer, paçoca, censura, pinça, exceção, maciço e etc.
  • S: ansioso, cansar, diversão, excursão, pretencioso, remorso e etc.
  • SS: acesso, acessível, assar, carrossel, concessão, discussão, essencial, expressão, impressão, massa, necessário, sossego, missão e etc.
  • SC, SÇ: acréscimo, adolescente, crescer, desça, florescer, consciência e etc.
  • X: aproximar, auxiliar, máximo, próximo, trouxe e etc.
  • XC: exceção, exceder, excesso, excelência e etc.

Uso dos Porquês

  • Por que ‘’início ou meio da frase’’: Por que você faltou ontem? Ou: Não entendo por que dele ter faltado.
  • Por quê ‘’final da frase’’: Você não foi ontem por quê?
  • Porque ‘’conjunção coordenativa explicativa casual’’. Pode ser substituída por pois, já que, visto que e como: Tirou nota ruim porque não estudou. Ou: Sei que está tudo bem porque mamãe me ligou.
  • Porquê ‘"utilizado como substantivo que vem procedido de artigo ou outro determinante: Não entendo o porquê dessa confusão.

Uso do Onde e Aonde:

  • Onde ‘’utilizado em momentos de estabilidade e permanência (lugar em que)’’: Onde você está? Onde coloquei os óculos?
  • Aonde ‘’utilizando em sentido de movimento (para onde): Aonde você vai? Aonde vamos nos encontrar?

Uso do Mais e Mas

  • Mais é um adverbio de intensidade e pode dar ideia de uma adição: Quero mais desenhos para pintar! Ele é o menino mais lindo da escoa.
  • Mas é uma conjunção adversativa (contrariedade), pode ser substituída por porém, todavia, contudo e etc.: Ele foi falar com ela, mas não a encontrou. Ela sabia de tudo, mas não podia falar.

Uso do Mal e Mau

  • Mal usado como conjunção temporal, substantivo e o contrário de bem: Ele dormiu mal/Ele dormiu bem; Mal chegou em casa e a campainha tocou; O mal nunca vence.
  • Mau sempre utilizado como adjetivo e o contrário de bom: Ele era um mau garoto/Ele era um bom garoto.

Uso do A e Há

  • A é utilizado para indicar o tempo futuro: Ela viajará para o brasil daqui a três meses.
  • Há verbo utilizado para indicar um tempo que já ocorreu: Não o vejo há meses.

Uso do senão e se não

  • Senão é utilizado em casos contrário: Vá para a escola senão repetirá em geografia.
  • Se não equivalente a ‘’se por acaso não’: O que acontecerá se não chover amanhã?.

Lembretes: #LínguaPortuguesa #dicasdeportugues #enemportugues

  • Agente é existe em séries de TV. O certo é 'a gente'.
  • Jeito é com J e não G.
  • Pra mim fazer é errado: Para eu fazer. Usa-se o para mim em final de frases: Ele fez para mim.
  • Descriminar é sinônimo de descriminalizar.
  • Discriminar é sinônimo de distinguir.
  • 'Fazem meses' está errado; o certo é 'faz meses'.
  • 'Ao meu ver'' não existe; o correto é 'a meu ver'.