O número de candidatos que tiraram nota zero no #ENEM do ano passado deixou o MEC (Ministério da #Educação) alarmado: foram mais de 84 mil. Portanto, esse alto índice de notas zeradas mostrou que a redação é um dos itens que não dá para negligenciar no exame. O aluno deve se preparar o ano todo, treinar bastante a parte de escrita para não cometer erros que podem prejudicar seu desempenho final.

Uma das principais recomendações dos professores é que se leia todo o enunciado apresentado com a máxima atenção. A consequência da falta de leitura pode ser a fuga do tema proposto, o que trará consequências desastrosas ao candidato, além da incompreensão do que foi solicitado, alerta a professora de redação do colégio QI, Thaiane Espindola.

Publicidade
Publicidade

Ela explica que em 2016 aconteceu exatamente isso com o tema da redação "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil". Eles preferiram abordar a intolerância de um modo geral e não especificaram o que o tema pedia. Isso levou a um erro grave.

Uma das alunas do 3º ano do ensino médio, Francielly Anita Dias, confessa que teve muitas dificuldades no exame do ano passado. A estudante de 17 anos conseguiu uma pontuação média de 640 pontos, dos 1.000, que são a nota máxima da redação. Já Raphael Torres, professor de redação do QG do Enem, argumenta que alguns candidatos cometem um equívoco bastante comum que chama de "ditadura do dom e da inspiração". As pessoas acreditam que escrever bem é uma questão de aptidão natural, um talento com o qual a pessoa nasce. Segundo Raphael, para fazer um bom texto é preciso praticar.

Publicidade

Abaixo os educadores listam alguns erros comuns:

Repetição de vocabulário

A repetição de palavras num parágrafo ou mesmo no decorrer do texto pode ser prejudicial na hora da avaliação, aparentando um vocabulário limitado, além de uma provável redundância de ideias e argumentos. O educador ainda dá uma excelente dica que pode servir de estratégia para se sair bem na redação, como usar pronomes, sinônimos e até deixar de usar algum trecho desnecessário ao tema.

Concordância verbal e nominal

Torres alerta que o aluno deve ter atenção máxima na leitura do tema, pois a inversão das orações e o afastamento de sujeito e verbo, frequentemente, causam desvio de concordância nos textos.

Desrespeito aos Direitos Humanos

Numa prova o candidato nunca deve ser radical, mesmo que o tema o incomode. Textos considerados preconceituosos e ofensivos levam nota zero.

Girias e "Internetês"

Muitos candidatos reportam às provas termos inapropriados usados nas redes sociais, o que causa reprovação. Na correção são atribuídos de zero a duzentos pontos ao domínio correto da língua portuguesa.

E para finalizar um alerta: atenção ao tempo da prova que é recomendado pelos educadores. Deve ser feito entre 70 e 80 minutos. Sobrando assim uma boa margem para as outras questões. #Curso