Embora haja muitas discussões e estudos sobre o assunto, uma considerável parcela de estudantes desconhece as situações que podem ocasionar a anulação da #redação cobrada no Exame Nacional do Ensino Médio, que como se sabe é um teste bem competitivo, portanto, toda informação é válida, ainda mais no que se refere à essa prova que tem um peso maior para algumas instituições de ensino. À vista disso, o que o candidato não deve fazer?

  • Não seguir o modelo dissertativo-argumentativo

Importa que o estudante saiba diferenciar os principais estilos (tipos ou tipologias) e gêneros textuais, pois isso o ajudará tanto na prova de redação quanto na de linguagens, a qual explora bastante uma diversidade de textos.

Publicidade
Publicidade

Em geral, alguns dos teóricos da área divergem na classificação dos estilos – narrativo, descritivo, injuntivo, expositivo, dissertativo. Mas podemos dizer que estes são constituídos por uma limitada quantidade de agrupamentos maiores de texto com particularidades comuns, como, por exemplo, no estilo narrativo predomina o ato de narrar situações reais ou fictícias, e há a presença dos seguintes elementos: narrador, personagens, tempo, espaço, enredo; no tipo descritivo prevalece a caracterização de objetos, pessoas ou ambientes; e assim por diante. Já os gêneros textuais são unidades menores de textos, existentes em maior e indefinida quantidade, que circulam em diferentes suportes e situações comunicativas do dia a dia, são eles: aviso, carta, conto, crônica, lenda, notícia, relatório, receita culinária, poema, piada, romance, tirinhas e etc.

Publicidade

Há ainda os gêneros literários: épico, lírico, entre outros.

Em síntese, o #ENEM pede uma redação dissertativa-argumentativa em prosa, logo, o texto deve ser escrito em parágrafos, estar organizado em introdução, desenvolvimento e conclusão. Podem ser usados como argumentos versos breves de poemas ou músicas e também ser contado algum fato relacionado ao tema; desde que não prevaleça outro estilo além do dissertativo, desse modo, não se pode escrever em forma de poesia ou narrativa.

A publicação Redação no ENEM 2016 Cartilha do Participante afirma, na pág.19, que “o texto dissertativo-argumentativo se organiza na defesa de um ponto de vista sobre determinado assunto. É fundamentado com argumentos, para influenciar a opinião do leitor ou ouvinte, tentando convencê-lo de que a ideia defendida está correta. É preciso, portanto, expor e explicar ideias. Daí sua dupla natureza: é argumentativo porque defende uma tese, uma opinião, e é dissertativo porque são utilizadas explicações para justificá-la”.

Publicidade

  • Produzir até 7 linhas

Oito linhas é a quantidade mínima exigida no ENEM. “Então posso terminar o texto ao escrever as oito linhas? ”

O candidato que produzir menos ou até sete linhas já estará com a redação zerada. Quanto à pergunta anterior, a resposta é “Poder, pode. Mas não deve”! Aliás deve-se evitar os extremos, não ficar apenas nas oito linhas e nem escrever as trinta; ultrapassar obviamente não é aceitável. O recomendável é não escrever muito, nem pouco, mas o suficiente.

Possivelmente exista alguém capaz de fazer uma boa redação em oito linhas, todavia, essa habilidade é rara. É bem provável que uma produção com tal dimensão careça de argumentos consistentes e que as ideias estejam incompletas, além de passar a impressão de que o aluno possui pouco conhecimento sobre o tema, ou não sabe administrar o tempo ou simplesmente é “carregado de preguiça”. Na verdade, o que interessa não é o que podem pensar a respeito, e sim a nota final da redação. Qual é o resultado pretendido?

  • Desviar-se completamente do tema

Aparentemente é algo simples de ser evitado, no entanto, muitos estudantes não interpretam o tema da maneira correta. Como argumentar sobre um assunto que não foi entendido? Dessa forma, torna-se difícil produzir um texto adequadamente.

Para que haja uma efetiva compreensão do tema, o estudante inicialmente deve ler atentamente a proposta e os textos motivadores, alguns julgam estes como irrelevantes, cometendo um grave erro, porém é certo que eles não estão lá por acaso. Depois da leitura, caso não tenha sido tão esclarecedora, vale a pena “perder” um pouco mais de tempo fazendo uma releitura, atentando para as palavras que se repetem e destacando os trechos considerados mais importantes; não é recomendável começar a redação sem ter compreendido a temática, as informações apresentadas nos textos de apoio devem ser refletidas e auxiliam muito o candidato. Por fim, deve-se ter cuidado para não se distanciar, e manter o foco.

  • Transcrever os textos de apoio

Ao entender o tema a ser abordado, o estudante deve tomar um posicionamento a seu respeito e defendê-lo através dos mais variados tipos de argumentos, os quais podem ser constituídos por informações que estão nos textos motivadores, mas, sobretudo, por aquelas provenientes de fora deles, pelo conhecimento adquirido ao longo da vida estudantil. Nesse sentido, os dados da proposta servem como auxílio e inspiração para novas ideias; não como limitação, mesmo porque o candidato tem que demonstrar originalidade.

Os textos de apoio são muito relevantes, pois além de fornecerem alguns subsídios, como dados estatísticos por exemplo, os quais podem ser citados na produção – sem exagerar, pois a reescrita de grandes trechos pode não anular o texto, porém as linhas não serão contadas pelo avaliador –, eles também ampliam reflexões, norteiam o eixo temático, consequentemente, propiciam uma interpretação satisfatória. Contudo, não devem ser, em grande parte ou totalmente, copiados na redação; pois ao fazer isso o candidato estará mostrando claramente que não conhece o tema, a ponto de não ser capaz de usar as próprias palavras para comentá-lo, indicando incapacidade argumentativa, o que resulta na nota zero.

  • Infringir os direitos humanos

As temáticas sugeridas na redação do ENEM – que estão totalmente relacionadas com algum eixo social: cidadania, cultura, educação, meio ambiente, política, religiosidade, saúde, segurança pública, tecnologia – retratam problemáticas factuais vivenciadas por uma coletividade; para as quais esperam-se possiblidades de solução ou amenização, que não violem os direitos humanos, visto que se pretende resolver determinado impasse e não gerar outro. Ressalte-se que essas sugestões devem ser bem detalhadas, apresentando o quê, como e quem irá executá-las.

Muitos candidatos ignoram o critério, ou desconhecem os diretos comuns a todos, ou estão tão indignados com tais problemáticas que acabam propondo medidas de intervenção inadequadas. No ENEM de 2015, por exemplo, a partir do tema “A persistência da violência [VIDEO] contra a mulher na sociedade brasileira”, muitos aspirantes indicaram ações como linchamento, massacres, mutilação, tortura e vingança, as quais contrariam diretamente os DH, ocasionando, portanto, a anulação.

  • Desenhar ou fazer quaisquer outros registros passíveis de anulação

Lamentavelmente, há alunos que só realizam o ENEM por conta da obrigatoriedade imposta pelos pais ou por outras motivações um tanto negativas; são alguns desses que tiram proveito da situação e fazem desenhos diversos na folha de redação, grafam palavras ofensivas ou criam outros registros inconvenientes e intencionais. Tais práticas não são permitidas na produção.

A propósito, nenhum rabisco ou enunciado é aceitável, embora seja considerado positivo; os avaliadores julgam inadequadas partes desconectadas do texto. Desse modo, bilhetes, avisos, assinaturas, mensagens e expressões como: “Jesus te ama! ”, “Beijos!!!”, “Um grande abraço! ” são inaceitáveis.

  • Desconsiderar a folha de redação oficial

No dia da redação é recomendável iniciar por ela, a fim de não correr o risco de não dar tempo passá-la a limpo, e assim perdê-la por completo, visto que embora o texto esteja concluído e bem feito no rascunho, não será considerado caso não esteja na folha oficial; o que seria decepcionante. Porém, ao terminar o rascunho da produção não se deve reescrevê-la de imediato na folha oficial; sugere-se dar um intervalo – que pode ser usado para responder outras provas – e, posteriormente, se realize uma última leitura, a fim de que só então a redação seja totalmente finalizada.

Esses são os erros que não podem ser cometidos na produção textual do ENEM. Compreendido? Ajude outros estudantes, compartilhe estas informações com amigos e conhecidos! Bons estudos! #estudo