Publicidade
Publicidade

Já pensou em #Estudar no exterior? E que tal em uma das universidades mais antigas e prestigiadas do mundo? A Universidade de Oxford, no Reino Unido, criou um programa de bolsas de estudos chamado Clarendon, que visa oferecer #Bolsas de estudo de mestrado e doutorado, de qualquer área do conhecimento, aos alunos que tiveram um excelente desempenho acadêmico durante a graduação.

Além de cobrir todo o custo anual, oferecem um auxílio financeiro de 14 mil libras por ano e por aluno para que gastem com suas despesas durante o período de estudos. Não são somente os estudantes de full-time (período integral) que não podem trabalhar por falta de tempo que recebem o auxílio.

Publicidade

Os alunos de part-time (meio período) também recebem um apoio financeiro, com um valor ajustado, mais baixo.

As inscrições para concorrer às bolsas de estudos começaram em setembro de 2017 e vão até janeiro de 2018. É necessário ficar atento aos prazos da pós graduação pretendida, já que a data limite para se inscrever pode variar de acordo com o curso.

Critério de seleção

Para ser automaticamente considerado um candidato à bolsa de estudos Clarendon, é necessário fazer o aplicattion (aplicar) para um mestrado ou doutorado part-time (meio período) até janeiro de 2018, antes da data limite do curso pretendido.

O critério de seleção para conseguir a bolsa de estudos em 2018 varia de acordo com o curso e o grau a que o futuro aluno se candidata.

A Universidade de Oxford conta com mais de 38 faculdades e mais de 250 cursos, com um público que gira em torno de 22.330 alunos.

Publicidade

Mais de 40% do total dos educandos são estudantes internacionais.

O que faz a Universidade de Oxford ser tão famosa

A Universidade de Oxford foi fundada antes mesmo da cidade de Oxford e é considerada a instituição de ensino superior mais antiga da Inglaterra e a segunda mais antiga da Europa. Possui a maior editora universitária do mundo, é membro do Grupo Coimbra (formado pelas 39 universidades europeias mais antigas e prestigiadas do mundo). Começou a crescer quando o Rei Henrique II da Inglaterra proibiu os alunos ingleses de estudarem na Notre-Dame, em Paris.

Formou pessoas famosas, como Stephen Hawking (um dos mais consagrados cientistas da atualidade), J.R.R. Tolkien (autor de O Senhor dos Anéis), Margaret Thatcher (primeira ministra do Reino Unido entre 1979 e 1990), Bill Clinton (ex presidente dos EUA), dentre outros. Também conta com 27 prêmios Nobél, recebidos por alunos ou professores da instituição.