O desempenho acadêmico do estudante universitário é cada dia mais cobrado e exigido dentro das Instituições de Ensino que se presta a esse fim. O aluno sai do ensino médio e se encaminha a universidade carregando a bagagem da vida de adolescente. Em suma, o modus pensandi desse aluno, com relação ao bioma estudo e aprendizagem, ainda está sedimentado em práticas simples, como assistir aulas, decorar a matéria, levar trabalhinho para fazer em casa e fazer prova.

Enquanto isso, a estrutura de ensino escolar não contempla a preparação do jovem para enfrentar o universo da graduação, deixando uma lacuna, que acaba sendo preenchida com stress, medo e, consequente, desânimo.

Publicidade
Publicidade

Hoje, o ensino superior recebe alunos cada vez mais jovens, que se deparam com uma realidade bem distante do antigo "modelinho" de colégio. O choque é inevitável, já que o ensino médio, que o conduziu um degrau acima, não lhe deu bases reais onde se apoiar. E, por sua vez, o ensino superior, como produto de mercado onde a liquidez é exigida de maneira cada vez mais rápida, não permite que professores e direção disponham de tempo para analisar e tentar resolver questões relacionadas ao impacto sofrido pelos alunos na transição natural escola/universidade.

Assim, necessária se faz a utilização de recursos, extra-sala de aula. Nesse sentido, surge o Esporte como ferramenta comprovadamente eficaz, já que engloba em seu escopo todas as nuances de preparação do indivíduo, não somente para a vida acadêmica, como também para a social e moral.

Publicidade

Partindo-se do seu foco central, que é a promoção da saúde física e mental da pessoa, chega-se inquestionavelmente ao porquê da necessidade de se direcionar os jovens à prática do esporte.

Um porto seguro para o alívio do stress diário dos universitários

Já é mais do que sabido, e comprovado através de incansáveis estudos, que praticar exercícios físicos, aliados a uma alimentação rica em nutrientes o mais naturais possíveis, traz inúmeros benefícios para a promoção e prevenção da saúde.

A expressão proferida há séculos por um filósofo: "Mente sã, em corpo são" (Mens sana in corpore sano), vem demonstrar que a prática de atividades físicas não só está relacionada à saúde do corpo, como, concomitantemente, à saúde mental.

Voltando-se a idéia para a vida do estudante universitário, onde o desgaste mental e emocional são companheiros diários, chega-se a conclusão de que a prática de exercícios físicos chega a se tornar vital.

A pratica física direcionada para o esporte ainda confere a este o status de contribuir com a experiência da aprendizagem.

Publicidade

O incentivo a um estilo de vida ativa nos jovens, especialmente nos jovens universitários, constantemente envolvidos em diversas atividades estressantes, deve ser um objetivo prioritário.

O esporte não é apenas favorável para o estabelecimento de boas relações entre os estudantes, mas também para melhora da adaptação social. Ele pode ajudar a maximizar o potencial dos alunos, a sua força de vontade, o autocontrole. Também pode ajudar o aluno a superar a negatividade e o medo, propiciando o aumento da coragem, da tenacidade, o espírito empreendedor e a autoconfiança. Uma vez que o esporte fortalece o organismo e renova a mente, acaba funcionando como válvula de escape para o stress constantemente gerado pela vida acadêmica.

O esporte ensina o valor do esforço e como lidar com a vitória e com a derrota. A prática do esporte é vital ao desenvolvimento holístico dos jovens, promovendo sua saúde física e emocional e construindo relações sociais valiosas.

Um estudo feito pela universidade de Gotemburgo, na Suécia, onde um milhão e duzentos mil jovens foram avaliados em testes esportivos e também em provas de QI, revelou o forte vínculo existente entre exercício físico e atividade cerebral. Os jovens que praticavam esporte apresentaram desempenho muito melhor de raciocínio, aprendizado e memória em relação ao grupo de sedentários.

Um facilitador para a aprendizagem

O professor de Educação Física e Coordenador de Esportes de uma faculdade do interior do Rio de Janeiro, Bernardo Machado promove todos os anos Jogos envolvendo todos os cursos de graduação da Instituição. Ele conta: "Após a realização dos jogos, os professores costumam me dar o retorno do desempenho dos alunos/atletas na sala de aula. Surpreendo-me, ainda hoje, com os bons resultados que a competição traz para a vida estudantil desses jovens".

Aluno do terceiro período do curso de Administração, Gustavo de Souza conta que quase desistiu do curso. "Foi muito difícil no início, quando me deparei com tanta matéria e tanta pressão. Mas as aulas de judô e as caminhadas diárias ajudam muito. Sinto que o exercício e o esporte fazem minha cabeça funcionar melhor. Também passei a participar de todos os jogos que a faculdade promove, o que me ajuda na ambientação e a conhecer mais pessoas".

Para Guilherme Grigorini, aluno do curso de Odontologia, o importante no esporte é a diversão e a alegria que traz. "A cabeça fica mais leve. Por algumas horas não pensamos em matérias, trabalhos, cobranças". E ele está certo, porque segundo a Psicologia do Esporte, para que o jovem seja dedicado à prática do esporte, antes de qualquer coisa é primordial que a satisfação e a alegria estejam presentes.

Comunicação, respeito às regras, saber ganhar e perder, compartilhar, liderança, conexão com os outros, autoestima, autoconfiança, trabalho em equipe, disciplina são só alguns dos benefícios que o esporte traz para a vida do estudante.

Ou seja, os Benefícios do Esporte não são só para a Saúde Física, mas também para a Intelectual e Psicológica. Nesse sentido, vem ao encontro da Educação, que em sua essência prevê o desenvolvimento integral do indivíduo - moral, físico e intelectual.