A fase de grupos da copa do mundo terminou e agora não há mais chance para errar. Não tem mais como consertar vacilos de um jogo para o outro, como na primeira fase. Penso, como analista, não como torcedor, que o Brasil não ganhará a copa, se levarmos em conta vários fatores: A teimosia do técnico, que não gosta de fazer alterações (se sente o dono do mundo, deve ser o contato de muito tempo com a FIFA), a falta de criatividade dos jogadores, que mesmo mal não aceitam críticas, a fragilidade dos dois laterais, que não sabem marcar e também não atacam e a responsabilidade extrema em cima de Neymar, que quando bem marcado não consegue desenvolver o mesmo futebol.

Publicidade
Publicidade

Mas alguns podem dizer que Messi também carrega a argentina nas costas. Bom, as diferenças são que enquanto a seleção argentina tem um ótimo ataque e um meio campo forte, que chega na frente no Brasil, ninguém assume a responsabilidade de criação, a não ser o camisa 10, que está muito individualista, dificilmente solta a bola, no que difere também do 10 argentino.

Fazendo uma breve análise das seleções que estão nas oitavas de final, vejo a Holanda com um time certinho, que marca bem e tem um contra ataque mortal, grandes chances de chegar à final, assim como a Alemanha, que tem um ótimo time titular e um reserva melhor que muitas seleções que estão nas oitavas. A seleção chilena com a melhor equipe de todos os tempos pode surpreender, apesar dos brasileiros se apegarem à outras copas e outros resultados, se esquecendo que as coisas mudam. O problema maior do Chile que favorece os adversários é a altura dos jogadores, toda bola na área é um Deus nos acuda.

Publicidade

A França tem um time forte fisicamente e um artilheiro que quase sempre marca, deve despachar a Nigéria que fisicamente também é forte e corre muito, mas só joga no contra ataque. A grande surpresa do mundial, a Costa Rica, com um futebol de marcação e rápida no ataque, deve chegar à outra fase passando pela Grécia que marca bem mas não tem criatividade. No clássico sul americano a Colômbia, com um belo futebol e um craque de 22 anos deve ganhar do Uruguai, que ganha na garra, mas perdeu seu principal jogador, que gosta de morder outros jogadores. No confronto mais fácil da fase, a Alemanha tira a Argélia, que está satisfeitíssima por ter chegado às oitavas. A Suíça também dá adeus, com seu futebol burocrático, mas Messi será bem marcado. A Bélgica dependente de Hazard, vai ganhar por um gol de diferença dos Estados Unidos, que vêm crescendo a cada mundial. A seleção mexicana, que não sofreu gol no mundial será um páreo duro, mas a velocidade da Holanda decidirá o jogo.

Bom, vamos esperar e torcer para que as análises e a razão não se sobreponham à emoção que o futebol nos traz, que é a incerteza de tudo, a genialidade dos atletas alterando os resultados, torcendo também para que não sejam alterados pela arbitragem...

Felicidades.