E lá se foi o sonho do hexacampeonato. E se foi da pior maneira possível. Na "Copa das Copas", jogada no Brasil, o assim chamado país do futebol, a participação dos anfitriões não foi nem de longe o que seus milhões de torcedores apaixonados esperavam. Após o surreal vexame no jogo contra a Alemanha pelas semifinais, que fez o Brasil dar adeus à chance de chegar à sua oitava  final, restava à equipe brasileira uma tentativa de tentar limpar sua imagem, ainda que minimamente, na disputa pelo terceiro lugar contra a ótima equipe da Holanda. O discurso pré jogo era que eles, os jogadores, deviam ao povo brasileiro uma atuação mais convincente e os honrariam com a conquista nem tanto honrosa do terceiro lugar.

Publicidade
Publicidade

Mas bastou que a partida se iniciasse para vermos que as coisas não sairiam exatamente como desejado. Logo aos 3 minutos de partida, gol da Holanda, fruto de uma cobrança de pênalti após falta cometida por Thiago Silva fora da grande área mas que a arbitragem viu como cometida dentro. Daí em diante, apenas tentativas frustradas de equilibrar a partida e mais dois gols holandeses. Verdade seja dita, a equipe brasileira não jogou tão mal quanto na partida contra a Alemanha, mas ainda assim, o que apresentou ficou muito longe do necessário para se enfrentar de igual para igual uma equipe como a holandesa. Fato é que o time brasileiro nunca empolgou de verdade. Durante a primeira fase, dificuldade de passar por adversários mais fracos. Nas fase seguintes, jogos duríssimos contra Chile e Colômbia, adversários que historicamente nunca foram páreo para o Brasil.

Publicidade

E quando enfrentou um oponente de primeira grandeza, deu no que deu. Quarto lugar em casa para quem é pentacampeão mundial é, no mínimo, vergonhoso. Ao contrário do que se esperava, principalmente após as fortes manifestações contrárias à Copa em 2013, a torcida apoiou o time o tempo todo, em todos os jogos, em todas as sedes, em frente à concentração em Teresópolis e em cada hotel onde a equipe se hospedava. Mesmo após o fatídico jogo contra a Alemanha, no evento agora conhecido como "Mineirazo", a torcida continuou, pelo menos em parte, dando seu apoio e lotou as dependências do estádio Mané Garricha em Brasília para a disputa do terceiro lugar. Em vão. A outrora prestigiada seleção brasileira entrou em campo para mais um vexame. Dez gols em dois jogos. Como diria a um certo alguém, "nunca antes na história desse país" se viu um time brasileiro levar tantos gols em uma Copa do Mundo. E logo na Copa no Brasil. O que o torcedor espera agora é que tudo isso tenha pelo menos servido de lição e que daqui pra frente, haja uma renovação no futebol brasileiro em todos os sentidos. Renovação que faça com que a busca pelo hexa na próxima copa seja algo com sentido e possibilidade real, e não apenas um devaneio de um povo (mal) acostumado a ganhar.