Ontem (26/11/14), foi confirmada a hegemonia atual do #Futebol mineiro nos campeonatos disputados em território brasileiro. A final épica entre o Cruzeiro e o Atlético-MG vai além de somente ser uma tendência casual, isso é demonstração do planejamento que é traçado e implementado da maneira correta, gerando resultados esperados e satisfatórios para ambos os clubes.

O futebol mineiro passa por um momento iluminado, mas que foi alcançado após uma mudança estrutural na gestão dos dois clubes que representam Minas Gerais na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol.

O planejamento feito tanto por Cruzeiro quanto por Atlético-MG foi elaborado, não baseado nos jogadores que integram os elencos profissionais, mas sim com base no que foi determinado pela diretoria de futebol, pela qual foram claramente definidas as metas à curto, médio e longo prazo.

Publicidade
Publicidade

Mas o mais importante disso tudo é que o planejamento foi devidamente implementado e seguido à risca, mesmo que os resultados obtidos inicialmente tenham sido negativos.

E é a partir da identificação das ferramentas que devem ser utilizadas para a implementação do planejamento que começa a se fazer a diferença, sendo o ponto de partida para vários fatores, iniciando-se pela escolha da comissão técnica, jogadores que estarão integrando o elenco profissional e fornecendo todos os subsídios para que todo o departamento profissional de futebol alcance as metas propostas pela direção.

Embora essa fórmula apresentada pareça ser tão simples de ser identificada e implementada, os clubes brasileiros em sua maioria não estão conseguindo coloca-la em prática, e isso fica evidente na gestão equivocada de seus dirigentes e detectada com mais facilidade nas dívidas astronômicas que os clubes brasileiros possuem.

Publicidade

E é essa a diferença dos dois grandes clubes de Minas Gerais, Cruzeiro e Atlético, com relação aos demais clubes do Brasil, principalmente os que participam da primeira divisão do campeonato brasileiro de futebol, na qual o fruto de suas gestões pode ser notado no bicampeonato brasileiro do Cruzeiro (2013 e 2014) e a final da Copa do Brasil 2014 entre Atlético e Cruzeiro, vencida pelo Atlético. Todos aceitem ou não, é fato: "O futebol mineiro atualmente possui a hegemonia do futebol no Brasil".