Quando chegou no meio do ano passado, Dátolo provou um pouquinho da hostilidade mineira ao ser escalado até como lateral, que não é posição dele. O "hermano" aguerrido não se intimidou e treino a treino foi alcançando destaque entre os companheiros de equipe, conquistando a todos com seu talento e simplicidade em campo. No ano passado foram 11 jogos e apenas um golzinho. Já esse ano são 32 jogos, entre Brasileirão e Copa do Brasil e somam-se sete gols em seu currículo. Lembrando também que contra o principal rival de seu atual clube, o Cruzeiro, tornou- se, querendo ou não, cliente do "Garçom do Tango". Tanto que tomou dois gols como pagamento de gorjeta das últimas vezes que se encontraram em duelo clássico!

Jogador como Dátolo é difícil de encontrar, pois precisa de humildade ímpar e sensibilidade rara para compreender e interagir com os colegas de grupo como ele consegue fazer: liderando, porém jamais deixando de respeitar seus companheiros e, mais importante que tudo, provando isso da melhor maneira possível, ou seja, em campo. Os coloca estrategicamente na cara do gol para marcarem gols e poder regozijar com seus frutos. Genialidade é uma ótima palavra para definir esse tímido e querido argentino. Jesús Alberto Dátolo, com uma visão de jogo compacta, tem facilidade para antever jogadas e lances fantásticos, promovendo ativamente jogos emocionantes. Sua frieza em momentos quentes também chama consideravelmente a atenção de quem o observa.

Natural de Carlos Spegazzini, interior da Argentina, nasceu em 19 de maio de 1984. Embora seja ainda jovem, Dátolo tem uma carreira interessante. Começou em sua terra, depois foi para a Europa e em seguida encarou a marra dos brasileiros ao assinar contrato com o Colorado Gaúcho e representar logo de estreia muito bem seu papel de meio-campista garçom. Mas o argentino tem bom chute e não costuma errar na mira; muito menos quando acha oportunidade para arriscar de canhota, sua perninha preferida. Para coroar sua atuação do ano pelo Galo, com o título da Copa do Brasil (que, diga- se de passagem, é inédito) resta somente o técnico Levir Culpi e seu elenco segurarem a onda junto com a raposa, no Mineirão lotado, no dia 26 de Novembro. #Famosos #Futebol