O campeão da Terceirona do Brasileiro foi punido e terá que pagar uma grana pelo atraso no início do jogo decisivo contra o Papão. O Macaé foi julgado na tarde desta sexta-feira (5), no TJD-RJ, pelos 30 minutos de atraso, no último sábado (29/11), e terá de pagar R$ 6 mil de multa. Para o torcedor macaense, essa punição passou despercebida. O clima ainda é de festa e a espectativa agora é pela formação do novo time que disputará o Campeonato Estadual. Alguns dos atuais campeões renovaram sua permanência no Leão e outros novos estão chegando para o Carioca com a projeção de serem os reforços para a Segundona do Brasileiro de 2015.

O técnico Josué Teixeira participou de um programa esportivo na Rádio Globo, neste sábado (6) e confirmou sua permanência no Macaé.

Publicidade
Publicidade

Seis jogadores do time campeão renovaram para o Campeonato Carioca e a Segundona do Brasileirão de 2015. O zagueiro Douglas Assis, o lateral-esquerdo Bruno Santos, o volante Gedeil, os meias Marquinho e Fernando Santos e o atacante Bruno Alves estão confirmados no grupo. O contrato dos seis jogadores, que encerrava no fim deste ano, foi prorrogado até dezembro de 2015. Destes, o volante Gedeil, está no Leão desde 2008 e atualmente é o capitão. Atualmente, os cartolas do Macaé estão focados na renovação de empréstimo do goleiro Milton Raphael, que pertence ao Botafogo.



Dois campeões foram embora. O volante Lucas voltará de empréstimo ao Friburguense, para disputar o Carioca, podendo retornar ao Macaé para o Brasileiro. O atacante Juba, autor do gol do acesso, tem contrato com o Novo Hamburgo até o fim do Gauchão e já retornou para o sul do Brasil. A reapresentação do Macaé está prevista para o dia 15 de dezembro, no Moacyrzão.

Publicidade

O Leão estreia no Carioca contra o Flamengo, dia 1º de fevereiro, em Macaé.



Por unanimidade, o júri multou o clube em R$ 200 por minuto, valor próximo da pena mínima, de R$ 100. Na pior das hipóteses, o Leão poderia receber uma pena de R$ 1.000 por minuto, totalizando R$ 30 mil de multa. O homem do apito relatou na súmula os 30 minutos de atraso, retardando o inicio da peleja. Na ocasião, o Macaé enfrentou dificuldades no trajeto entre o hotel e o Estádio do Mangueirão, devido ao trânsito pela movimentação de torcedores paraenses no entorno do Mangueirão. A diretoria do Leão revelou que pediu o auxilio de um esquema especial do policiamento, com batedores, mas não foi atendida como deveria, e acabou sendo atrapalhada propositalmente pela torcida adversária. Curiosamente em Macaé, o Payssandu teve outro tratamento e chegou sem problemas ao Moacyrzão.



#Futebol