A presidente Dilma Roussef sancionou uma lei que garante uma renda mensal vitalícia para a atleta Laís Souza, 26, que sofreu acidente no ano passado ao treinar para defender o país nos Jogos Olímpicos de Inverno. O valor mensal que a atleta terá direito é de R$ 4.390,24. A pensão passou por todas as fases obrigatórias para se tornar lei e saiu hoje no Diário Oficial da União. O valor não deverá se estender à família ou para herdeiros da atleta.

Laís Souza defendeu o Brasil em 2004 nos Jogos Olímpicos de Atenas e em 2008 nos Jogos Olímpicos de Pequim. A atleta iria participar dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, na Rússia, e faria parte da equipe de esqui aéreo.

Publicidade
Publicidade

Porém, no dia 28 de janeiro de 2014, Laís se chocou contra uma árvore, sendo socorrida prontamente por uma amiga e por seu treinador.

Mesmo com o pronto atendimento, ficou confirmado o que todos temiam. Laís teve grande parte de suas funções motoras, sensitivas e autonômicas comprometidas e deverá passar por um longo período de recuperação, podendo nunca mais reverter esse quadro. Ela foi submetida a 11 meses de tratamento nos Estados Unidos nessa fase inicial de sua recuperação.

Laís decidiu trocar a ginástica olímpica pelo esqui aéreo recentemente. Coisas do destino ou não, essa decisão contribuiu para causar o acidente. Mas a atleta já pode se considerar uma vencedora. Já atingiu um de seus obstáculos para o futuro ao conseguir que a lei fosse sancionada. Porém a lei é específica para Laís e só permitirá que sejam repassados os recursos para a atleta.

Publicidade

A luta agora é para que seja aprovado um projeto de lei que forneça uma espécie de seguro que cobriria acidentes pessoais a atletas que defendem o país em Jogos Olímpicos ou Paraolímpicos.

Hoje, somente atletas que atuam no futebol são profissionais no Brasil, ou seja, têm carteira assinada e contribuem com o INSS e demais impostos. Para os demais esportes não existe essa prática e muitas vezes atletas que sofrem acidentes dessa magnitude ficam sem receber acompanhamento médico, psicológico e financeiro do governo.

Para o futuro, Laís conta que lutará para ter uma vida normal novamente, dentro das suas limitações. O Brasil deseja boa sorte. #Famosos