A madrugada de domingo, dia 25 de janeiro, ficará marcada como muito triste para a torcida de um dos clubes mais populares e importantes do país, o Internacional de Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Costa faleceu no início da madrugada por problemas cardíacos. O dirigente colorado, que há poucos dias havia assumido o cargo, tinha sofrido um infarto no dia 16 de janeiro, em Bento Gonçalves, onde o Inter estava realizando sua pré-temporada. Ele foi internado num hospital da cidade da Serra gaúcha. Na terça-feira, dia 20, Costa foi transferido para um Hospital em Porto Alegre, onde permaneceu até o final desta semana. Já nesta sexta-feira ele passou a tarde no clube, tendo informado à imprensa que iria reassumir seu cargo de Vice de Futebol já na próxima segunda-feira.

Publicidade
Publicidade

De volta à sua casa, poucas horas depois, ele sofreu um novo e fatal infarto.

Antes de assumir este posto no Internacional, Luiz Fernando Costa fora ligado ao departamento jurídico da Federação Gaúcha de Futebol, tendo sido também diretor jurídico do Sindiclubes. No Inter, além de ser Conselheiro, prestou excelentes serviços desde o ano 2000. Havia sido presidente da Fundação de Educação e Cultura do Internacional (FECI). Na eleição da nova diretoria, ele presidiu a Comissão eleitoral.

Assumiu o cargo de vice-presidente de futebol e logo trabalhou ativamente na contratação do uruguaio Diego Aguirre como técnico. Outra atuação importante foi nas contratações de reforços para esta temporada. Assim, Costa consolidou a vinda dos reforços: zagueiro Rever, lateral Léo, volante Nilton e o atacante Vitinho, cuja apresentação aconteceu em Bento Gonçalves, poucas horas antes de sofrer seu primeiro infarto.

Publicidade

Luiz Fernando Costa, 53 anos, era advogado, casado em segundo matrimônio e tinha duas filhas. Neste verão de 2015 ele iria viajar para a Espanha, em férias, mas ao ser convidado para o cargo de diretor de futebol abiu mão do passeio e entregou-se de corpo e alma ao cargo de vice-presidente de futebol.

O falecimento de Costa (cujo velório tem por local o Salão Nobre do Conselho Deliberativo do Internacional) fez com que fosse decretado luto oficial de três dias no clube.