É um enorme orgulho para qualquer brasileiro ver outro compatriota, em qualquer parte do mundo, ou qualquer que seja o esporte, subindo ao pódio em primeiro lugar e erguer a taça de campeão. Nesse momento, o orgulho de ser brasileiro aflora por cada poro do nosso corpo e falamos para todos: "Temos um brasileiro campeão mundial". Nesse caso, me refiro ao Gabriel Medina, campeão mundial do WCT 2014. São 38 anos de competição e essa é a primeira vez que temos um campeão brasileiro no mundial de surf.

O que isso quer dizer?

Vamos falar a verdade. A mídia brasileira nunca deu grande ênfase ao surf brasileiro, mesmo com grandes expoentes nacionais como Carlos Burle, especialista em ondas gigantescas, Picuruta Salazar, Fabio Gouveia, dentre tantos outros.

Publicidade
Publicidade

Bastou Gabriel Medina começar a ganhar algumas etapas do WCT que a mídia começou a dar mais atenção e acompanhar, passo a passo, em cada fase ultrapassada, mais a sua vida, seu estilo e jeito de ser eram registrados. Passamos a respirar como Gabriel, a viver como ele, passamos de certo modo a ser o país do Surf. Isso mesmo, o país do Surf, pois depois de 7x1 ninguém mais ousa dizer que somos o país do futebol. Por conta disso, procuramos o esporte campeão mais próximo para voltar a ter aquele orgulho perdido.

O legado Gabriel Medina

Gabriel Medina é campeão mundial de surf 2014, orgulho nacional merecido, mas e agora? Com certeza aumentaram os alunos em escolinhas de surf do nosso litoral brasileiro, alguns meninos e meninas já começaram a se aventurar no surf, mesmo que em pequenas pranchas.

Publicidade

Na verdade, não veremos grandes investimentos neste tipo de esporte. Pois o surf é a maior interação entre o homem e a natureza, é necessário ter algo a mais, um feeling entre o homem e a natureza, um talento nato. Tenho certeza que existem algumas pessoas que tenham esse tipo de talento, espero que não percam durante a vida, espero ver novos Medinas, novos campeões.

A cobrança

O WCT 2015 terá 5 brasileiros competindo: Gabriel Medina, Adriano de Souza, Filipe Toledo, Miguel Pupo e Jadson André. Claro a pressão maior será em Medina, campeão e a missão de ter a mesma performance passada. Até um filme da vida de Medina será lançado em canais dedicado ao esporte. Que toda essa exposição e pressões envolvidas não tirem o atleta de seu foco, porque antes do título, da taça, da mídia, existe ainda o garoto que curte se divertir com sua prancha, sua família, amores, festas, coisas que um ser humano com extremo talento merece ter. O titulo já existe, ele é o primeiro brasileiro campeão mundial de surf. As portas continuam abertas, o que vier agora é lucro! #História