Quando as coisas parecem começar a se ajeitar no Palmeiras, uma especulação sobre o futuro do técnico Oswaldo Oliveira resolve agitar os bastidores do clube. Os rumores de uma possível ida do treinador para a Seleção Japonesa começam a ganhar força e existem grandes possibilidades de um convite ser feito nos próximos dias.

O indício que reforçou a possibilidade de saída do comandante alviverde foi a presença de uma jornalista japonesa no centro de treinamento do Palmeiras. O fato é que o Japão flerta com nomes brasileiro há algum tempo. Antes de contratar Javier Aguirre era Tite quem estava na disputa pelo cargo. Agora que o mexicano foi dispensado, depois de péssimo desempenho na Copa da Ásia, despontam nomes como Felipão e Leonardo, além de Oswaldo Oliveira.

Publicidade
Publicidade

O motivo de preocupação palmeirense é ainda maior devido a identificação de seu atual treinador com o #Futebol japonês. Oswaldo teve uma passagem de cinco anos no Japão e muitas conquistas treinando o Kashima Antlers, foram oito títulos conquistados entre eles o tricampeonato japonês. Publicamente, o técnico já admitiu que ficaria balançado caso tivesse a oportunidade de treinar a seleção japonesa, apesar de considerar a possibilidade remota nos dias de hoje.

Mesmo sem ter recebido nenhum convite, alguns torcedores palmeirenses e a mídia esportiva já começam a especular qual seria o nome ideal para assumir o clube caso a saída de Oswaldo Oliveira se concretize. Diversos nomes foram citados, mas os principais são o de Felipão, que vive má fase no Grêmio; Luxemburgo, que está no Flamengo e Mano Menezes, que está desempregado, mas admitiu que pretende passar um período se aprimorando e observando o futebol europeu.

Publicidade

É válido ressaltar que o Palmeiras vive um processo importante de reconstrução dentro de campo e quem está no comando é Oswaldo Oliveira. O clima de incertezas e o exagero nas especulações atrapalham bastante no trabalho que está sendo desenvolvido, afinal uma eventual saído do treinador geraria uma quebra na linha de trabalho e o elenco teria que se readaptar com uma nova filosofia e um novo modo de trabalhar.

O Palmeiras não pode sofrer por antecedência com esse tipo de situação, é preciso demonstrar maturidade para lidar com um momento conturbado. Em primeiro lugar não foi feita nenhuma proposta, a partir do momento em que existir algo concreto caberá a diretoria ter uma conversa bem madura para definir o futuro da comissão técnica. Por enquanto, o foco é vencer o Capivariano e seguir crescendo em desempenho na temporada.