Esse é um daqueles momentos em que o torcedor palmeirense precisará respirar fundo e ser paciente. A ressaca depois de perder o primeiro clássico no Allianz Parque, diante do Corinthians, é pesada. Pode parecer clichê, mas não há mistério: a palavra da vez no Palmeiras é paciência.

Deixar o emocional de lado é difícil, afinal, ninguém gosta de perder e ainda mais para o seu maior rival, mas é uma atitude necessária. O torcedor precisa criar o hábito de analisar o atual momento vivido pela equipe e refletir sobre ele. A grande verdade é que o Palmeiras vive um momento de reconstrução e é uma missão muito complicada encontrar um encaixe de todas as peças em tão pouco tempo.

Publicidade
Publicidade

A sequência de jogos do começo de temporada do Palmeiras também não ajudou muito, tirando o jogo diante do Audax, o alviverde enfrentou duas partidas complicadas diante de Ponte Preta e Corinthians. Claro que era possível e esperado um resultado diferente da derrota nos dois embates, mas quantas vezes recentemente o clube campineiro não surpreendeu grandes equipes, até mesmo o São Paulo e o próprio Corinthians?

O natural para o Palmeiras é que a equipe ganhe força e encorpe com o campeonato em andamento, até porque ainda existem diversos reforços em trabalho de condicionamento físico, que são peças com qualidade para atuar no time titular.

Nomes como Arouca, Cleiton Xavier e Valdivia podem agregar muito valor na escalação do Oswaldo Oliveira. O primeiro é visto como encaixe para ajusta a marcação no meio de campo, o segundo é a esperança para melhorar a qualidade e ritmo da saída de bola e o chileno se destaca pela capacidade de desequilibrar nos momentos decisivos.

Publicidade

O torcedor precisa se conscientizar de que o momento é sim diferente do vivido nos últimos anos, com o rebaixamento de 2012 e o quase descenso do último ano. Qualitativamente falando, o elenco alviverde é muito superior aos últimos que foram montados. Existe uma pressão para que o Palmeiras faça valer a sua tradição e consiga voltar a brilhar, conquistar grandes vitórias, mas isso não acontece do dia pra noite.

A carência do torcedor palmeirense é tamanha que faz com que ele oscile por uma linha tênue entre o otimismo exagerado e o pessimismo. Comemora uma vitória ou contratação como se fosse um título, mas evoca os fantasmas do passado na primeira derrota seguida de atuação ruim. No caso do Palmeiras, é preciso evitar esses dois sentimentos, ter a maior serenidade possível e apoiar muito os jogadores para que eles possam render o melhor desempenho técnico/tático o quanto antes. #Futebol