Nos últimos anos, os destaques foram a conquista inédita em 2012 e o lamentável incidente na Bolívia no ano seguinte. 

2010 - O ano do "centenada" 

O #Corinthians esperava um ano de festa. Depois de ter que disputar e vencer a Série B e conquistar a Copa do Brasil em 2009, o título da Libertadores seria o desfecho perfeito para as comemorações do centenário do clube. E tudo parecia caminhar bem: comandados por Ronaldo Fenômeno, os alvinegros venceram todos os jogos da fase de grupos e se classificaram para os dois confrontos contra o Flamengo, que vinha mal das pernas.

No primeiro jogo, em que a forte chuva praticamente impediu a prática do #Futebol, os rubro­-negros conseguiram sair na frente. No jogo de volta, no Pacaembu, o Timão abriu vantagem com dois gols de Ronaldo, mas o Flamengo conseguiu seu gol e assegurou a vaga. Restou aos corintianos aplaudirem sua equipe e lamentar mais um revés.

2011 ­ "Toliminado" na fase preliminar

Ao conseguir retornar rapidamente à competição, os corintianos não poderiam prever uma eliminação tão precoce. Por deixar escapar o vice­-campeonato brasileiro do ano anterior para o Cruzeiro, o clube se viu obrigado a disputar sua vaga na fase de grupos contra o desconhecido Tolima, da Colômbia.

Parecia não ser uma tarefa muito difícil para uma equipe que contava com os pentacampeões Ronaldo e Roberto Carlos, mas um surpreendente empate no Pacaembu complicou as coisas. No jogo de volta, os colombianos fizeram valer a vantagem de jogar em casa e despacharam os alvinegros com um incontestável 2x0. O dia deste jogo, que provocou a aposentadoria do Fenômeno, é lembrado até hoje pelos rivais como "Tolima Day".

2012 - Enfim, a conquista da América

Depois de muitas tentativas e gozações, finalmente chegou a vez do Corinthians conquistar a Copa Libertadores da América. O clube manteve o técnico Tite e montou uma equipe sem estrelas mas muito equilibrada e o resultado foi o melhor possível. Após passar boa parte da competição sem tomar gols, a equipe chegou à final, disputada no dia 04 de julho, invicta e com a defesa menos vazada.

Nas fases anteriores, eliminou o forte time do Vasco com um gol heroico de Paulinho nos minutos finais da partida e deixou pra trás o Santos do craque Neymar, que era o grande favorito ao título. Depois do empate em 1x1 em La Bombonera, a redenção dos corintianos veio com uma vitória de 2x0 contra o Boca Juniors, dois gols de Emerson Sheik. Finalmente, o Corinthians conquistava o título mais esperado de sua história.

2013 - Campanha manchada de sangue

O Corinthians entrou na disputa em 2013 como franco favorito. A equipe acabara de conquistar o título mundial contra o Chelsea e estava livre do peso carregado nos anos anteriores. Na estreia, contra o San Jose da Bolívia, porém, o empate em 1x1 foi o de menos. Um sinalizador atirado do meio da torcida corintiana atingiu e matou o jovem Kevin Espada, de 14 anos, escrevendo uma página negra na história do clube e da competição.

O clube não foi banido da Libertadores, como se especulava, mas teve que jogar algumas partidas com portões fechados e foi eliminado pelo Boca Juniors em pleno Pacaembu, com uma atuação pra lá de suspeita do árbitro Carlos Amarilla, que influenciou diretamente o resultado da partida - possivelmente em represália aos acontecimentos de Oruro, na Bolívia.

E você, como acha que será a campanha do Corinthians em 2015?