Anderson Silva não se cansa de anexar recordes no UFC em seu currículo de lutador: agora, ele é o lutador mais bem pago não só da atualidade, mas de toda a história da organização. Spider recebeu uma bolsa inédita depois de vencer Nick Diaz, no UFC 183, no último sábado, em Las Vegas. A bolsa foi no valor de 800 mil dólares, ou seja, mais de dois milhões de reais. Anderson Silva foi pego no exame antidoping realizado em 9 de janeiro, que foi divulgado ontem (4), e pode ter a vitória do último sábado (31) cancelada.

Com essa bolsa, o total arrecadado pelo lutador em lutas pela organização subiu para R$ 13,7 milhões, o maior valor entre competidores do Ultimate desde que a organização existe. Com isso, Anderson superou o inglês Michael Bisping, que em sua carreira arrecadou cerca de R$ 12,9 milhões.

Esses números foram divulgados no site 'MMA Manifesto' e incluem os valores referentes aos bônus de performance divulgados oficialmente, bolsas de cada lutador e valores oficiais.

Infelizmente, o recorde do brasileiro pode não durar muito tempo: em abril, Bisping tem uma luta contra CB Dollaway, no UFC 186, em Montreal. Se o Conde vencer, ele receberá aproximadamente R$ 1,15 milhão, ou seja, o mesmo valor que ele ganhou quando ganhou do Cung Le, em agosto de 2014.

Publicidade
Publicidade

Em abril, Bisping fará a sua 22ª luta pelo Ultimate, enquanto Spider fez apenas 19.

Independente da luta do Conde, a bolsa que Anderson recebeu depois de ganhar de Diaz é um recorde dentro do Ultimate. Nas duas lutas com Chris Weidman o valor da bolsa recebido por Anderson foi de R$ 1,6 milhão e até então era o maior valor já pago pelo UFC. Além da bolsa, o porquinho de Spider ficou mais gordinho com o salário do final de semana: o bônus pela vitória foi de mais de meio milhão de reais.

Depois de Anderson Silva, o lutador com maior bolsa é o campeão dos pesos meio pesados, Jon Jones. Em sua última luta ele recebeu 1,35 milhão ao ganhar de Daniel Cormier. Nick Diaz ganhou o mesmo valor quando ganhou de Anderson Silva.

Com esses valores, não é a toa que tantos jovens brasileiros desejam se profissionalizar no MMA, afinal, hoje querer ser lutador é quase tão comum quanto querer ser jogador de futebol.

Publicidade

#Entretenimento #Opinião