Na próxima quarta-feira (18), a libertadores começará para valer, pois será dado início a fase de grupos. Todos os 32 clubes que brigarão pelo título de 2015 começarão a saga de confrontos emocionantes. Diante disso, alguns profissionais que já sentiram o gosto de conquistar uma libertadores, elencaram dez itens necessários para se conquistar o título mais disputado e mais importante do #Futebol sul-americano, a Taça Libertadores da América.

Os campeões que contribuíram com suas experiências foram os seguintes: o técnico Tite; o preparador físico Paulo Paixão; o goleiro Victor; o lateral-esquerdo Fábio Santos; o ex-lateral Vitor; o ex-volante e atual diretor do Corinthians, Edu Gaspar e Fernando Carvalho, ex-presidente do Internacional.

Publicidade
Publicidade

Primeiro item: comer, beber e respirar libertadores. A libertadores é uma competição que exige foco total nela, jamais poderá ter a atenção dividida.

Segundo item: olho na arbitragem. Tem que orientar os jogadores quanto aos árbitros, porque a forma deles atuarem na libertadores é diferente da arbitragem dos campeonatos que acontecem aqui no Brasil, pois lá fora eles não marcam falta em qualquer contato físico.

Terceiro item: estudar muito. É necessário procurar conhecer todos os possíveis adversários, saber suas características principais, seus defeitos e suas qualidades. É necessário muito estudo e muita pesquisa, principalmente dos times que são pouco conhecidos pelos brasileiros.

Quarto item: criar o caldeirão. É preciso que a torcida esteja engajada com o clube e transforme o estádio em um caldeirão, criando um clima de muita pressão para os adversários.

Publicidade

Quinto item: ter líderes. É vital ter dois tipos de líderes entre os jogadores. O líder de comando, que é a extensão do técnico em campo, é aquele que incentiva e mantém o time sempre focado no jogo e nos objetivos da equipe; e o líder técnico, que é aquele jogador que possui grande qualidade, e que pode desequilibrar uma partida a favor de seu time a qualquer momento, é aquele que quando o jogo estiver complicado, o jogador o procura para decidir uma partida.

Sexto item: ter a cabeça no lugar. É imprescindível que os jogadores não caiam na catimba adversária, principalmente de argentinos e uruguaios, para que não venham a ser expulsos nas partidas.

Sétimo item: ser eficiente na bola aérea. Devido às dificuldades que encontrarão, algumas partidas podem ser resolvidas na bola aérea, por isso é preciso aprimorar, defensiva e ofensivamente, nas cobranças de falta e escanteio.

Oitavo item: ter uma logística eficiente. A diretoria tem que blindar os jogadores em relação a fatores externos ao campo, que poderão prejudicar o rendimento dos atletas nos jogos.

Nono item: relacionar-se bem com a Conmebol. Os clubes têm que procurar ter força política, principalmente para o bom relacionamento com a entidade responsável pela competição.

Décimo item: evitar erros. Os clubes devem evitar ou minimizar os erros cometidos no passado. #Entretenimento